sexta-feira, 26 de abril de 2019

Certificados da 14a Conferência já estão disponíveis

      Para aqueles que participaram da 14ª Conferência Municipal de Saúde do Recife/Etapa Municipal da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8) como delegados(as) e Observadores, o CMS-Recife informa que os certificados já estão disponíveis para retirada a partir da semana que vem.

     Fiquem atentos as informações de retirada:

- Os(as) delegados(as), usuários, trabalhadores e gestores, oriundos dos Conselhos Distritais e de Unidade podem buscar os certificados nas sedes dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) de sua origem, de segunda a sexta no horário de funcionamento de cada CDS.

- Os(as) delegados(as) que se inscrevam como Entidades e Movimentos Sociais, bem como os Observadores, podem retirar o certificado na sede do CMS-Recife, localizado na Rua dos Palmares, 253, no bairro de Santo Amaro, das 10h às 17h, na sala de Assessoria de Comunicação do Conselho.

RAG 2018 é aprovado pelo CMS-Recife

       Em Reunião Plenária Extraordinária realizada no dia 11 de abril, o colegiado do CMS-Recife aprovou, com ressalvas, o Parecer do Relatório Anual de Gestão (RAG) 2018. O documento foi o resultado de sete (07) encontros do Grupo de Trabalho que se debruçou neste instrumento de planejamento que apresenta os resultados alcançados com a execução da Programação Anual de Saúde (PAS), apurados com base no conjunto de ações, metas e indicadores, o qual operacionaliza o Plano Municipal de Saúde (PMS) na respectiva esfera de gestão.
      A leitura do Parecer foi feito pela conselheira e vice-coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto, onde apresentou todas as recomendações sobre algumas ações/metas da Programação Anual de Saúde (PAS) 2018, as quais devem ser observadas na PAS 2019. Estratégia de Saúde da Família, Educação Permanente, Saúde Bucal, Saúde da Mulher, Saúde Mental, Programa Academia da Cidade (PAC), Programa Nacional de Imunização (PNI), População LGBT, População Negra, SAMU, entre outras, foram destacadas no documento que deve ser publicado em Diário Oficial do Município pelos próximos dias.
       Outro ponto de discussão da 213ª Reunião Extraordinária foram as apresentações dos Relatórios das visitas da Comissão de Fiscalização do CMS-Recife. Apresentados pela coordenadora da Comissão, Janaína Brandão, os relatórios trazem o apanhado situacional das Unidades que vão desde a estrutura até o abastecimento de medicamentos e insumos.
       Ao todo, foram 13 relatórios apresentados das seguintes unidades: CAPS Luiz Cerqueira, UBT Monteiro de Moraes, USF Sítio dos Macacos, CAPS José Carlos Souto, USF Chico Mendes/Ximboré, Policlínica Lessa de Andrade, Ouvidoria, Policlínica Gouveia de Barros, Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), USF Passarinho Alto, USF Coelhos II, USF Monte Verde e USF Santo Amaro III.
     Agora, os relatórios serão encaminhado para o secretário de Saúde, Jailson Correia, para os devidos encaminhamentos, além de ficar disponível no blog do CMS-Recife para apreciação da população.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero

      Durante a realização da 14ª Conferência Municipal de Saúde do Recife/Etapa Municipal da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8), o Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife homenageou e reconheceu o papel do ONG Gestos como defensora dos direitos humanos das pessoas soropositivas para o HIV e para as populações vulneráveis às DSTs, contribuindo para o fortalecendo o Controle Social e Saúde da população em Recife.
      Para conhecer mais sobre essa entidade, confere o perfil abaixo. Boa leitura.

     Fortalecer os direitos humanos, sociais, econômicos, culturais e ambientais são alguns dos objetivos principais da organização filantrópica Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero. Fundada em meados da década de 90 pelos Sociólogos, Acioli Neto e Mércia Andrade, pela Jornalista Alessandra Nilo e pela Assistente Social, Silvia Dantas, a Gestos surge em um cenário político onde a saúde populacional enfrentava dilemas e lutas na sociedade contemporânea e com pré-conceitos já arraigados. 
      Falar sobre sexualidade é falar antes de tudo sobre aquilo que somos capazes de sentir e expressar. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), "a sexualidade faz parte da personalidade de cada um, é a necessidade básica e um aspecto do ser humano que não pode ser separado de outros aspectos da vida". A Gestos enfatiza a necessidade dos jovens de se auto conhecerem e auto compreender os efeitos da sexualidade prematura sem conhecimento prévio.
      Devemos construir a compreensão de que tudo que sentimos e vivemos acontece no nosso corpo, portanto, não é possível separar a sexualidade do corpo ou pensar no corpo sem considerar a sexualidade, além de desconstruir o papel da experiência sexual no contexto informativo e sociocultural associando o risco de transmissão do HIV/AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis.
      Localizada na Rua dos Medicis, número 68, no bairro da Boa Vista, centro da cidade do Recife, a Casa Gestos possui uma vasta dimensão de cores, flores e aromas, que vai do verde da grama a cor lilás que agrega valor ao propósito da instituição, que é ser uma área de purificação mental e física com os elementos fundamentais: respeito, dignidade e transformação, para aqueles que a procuram, contribuindo com a superação do HIV e da AIDS, além da construção de uma sociedade democrática e equitativa.
     A instituição tem por princípios éticos, o respeito e o convívio com as diferenças, a construção de uma cultura de paz, a autonomia, a solidariedade, a equidade, a Justiça Social, a transparência, o acolhimento e o cuidado de si e do outro ser humano, mas a Gestos vai além, ela ajuda na construção de diálogos baseados na escuta, na delicadeza e na confiança, o amor, o prazer e a liberdade como forças mobilizadoras para a transformação do mundo.
     A Gestos trabalha anualmente integrando as diversas instâncias, planos, políticas e ações, articulando a representação institucional, facilitando sempre a inserção e atuação da equipe nos espaços locais, nacionais e internacionais, coordenando a implementação da política de mobilização de recursos, especialmente identificando novas parcerias e estabelecendo uma comunicação sistemática com as parcerias estabelecidas, como a da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e UNAIDS do Brasil.
      Implementando a instituição, a Gestos insere atividades educativas e de ativismo sobre a formação política e saúde sexual, que tem como objetivo esclarecer dúvidas ou questões referentes a saúde sexual e reprodutiva, além das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), com o acompanhamento da equipe especializada, formada por enfermeiros(as),  psicólogas(os) e assistentes sociais.
     Com o aspecto jovem e integralizado com ideias abertas, a Gestos trabalha para alcançar todos os grupos e classes sociais, falando sobre gênero e sexualidade de uma forma branda e clara, onde os jovens podem contar com o suporte de profissionais que aconselham, criando laços de confiança, sempre acompanhando os princípios e visões, trabalhando em cima de projetos sociais e programas realizados no próprio espaço, um exemplo disso é o projeto Programa Saúde para Jovens e Adultos.
     O Programa Saúde realiza testagens para HIV e AIDS em jovens entre 18 e 29 anos, mas também auxilia adolescentes entre 12 e 17 anos a entender um pouco mais sobre o aspecto sexual humano. É realizado o aconselhamento pré e pós-teste para os que realizaram a testagem, e se a sorologia for positiva para o HIV, a Gestos encaminha a pessoa para o atendimento de psicologia e assistente social com orientação e encaminhamento para o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), para a realização do teste de confirmação e inicio do tratamento. Todo o acompanhamento é totalmente gratuito e é feito através de agendamento.
     Essa é a Gestos. Uma ONG sem fins lucrativos que visa atender a demanda das pessoas que vivem com HIV/AIDS e da população mais vulnerável à infecção pelo HIV, sempre destituindo o preconceito, fazendo com que os soropositivos participem e tomem conta das decisões das suas próprias vidas, onde façam parte de projetos e histórias coletivas de luta contra o HIV/AIDS, realizando trabalhos no âmbito da prevenção, terapias alternativas, apoio psicológico individual e em grupo, palestras, cursos, oficinas e grupos de vivência para jovens, mulheres e gays, de forma totalmente gratuita.

Lucelena: conheça um pouco da história da conselheira homenageada durante a 14ª Conferência Municipal de Saúde do Recife

      ‘Uma verdadeira faculdade’. É com essa frase que Lucelena Cândido dos Anjos define seu sentimento quanto ao exercício de ser Conselheira de Saúde. Atuante desde meados de 2006, a nossa personagem figura entre os grandes nomes que são lembrados quando se fala na defesa do SUS e no fortalecimento do Controle Social na capital Pernambucana.
     Nascida em Agosto de 1952, Lucelena é a primogênita de 10 irmãos. Filha de um auxiliar administrativo e de uma doméstica, a “Nega mais bonita da Cidade”, como se auto-intitula, nasceu no bairro de Nova Descoberta, área norte do Recife, onde construiu toda a sua vida de aventuras, amores, sonhos, etc. Ama artesanato e dançar, aliás, como boa pernambucana da velha guarda que é, Lucelena adora sair em Blocos Carnavalescos líricos, sendo o Bloco Utopia e Paixão seu estandarte mais vibrante.
     Na juventude, bateu os quatro quantos do Recife em seu fusquinha verde metálico. Trabalhou na antiga fábrica da Macaxeira, junto com seu pai, e numa entidade social de remédios fitoterápicos, também conhecida como Centro Medico Popular, no Córrego do Jenipapo.
     Enchendo os olhos de lágrimas, Lucelena relembra de muitas de suas conquistas. Considera-se a primeira doula de Recife. Sentimento que a faz estufar o peito de orgulho. Esse título nada mais é do que reverberar o real significado de se doar. Para quem não sabe, o termo DOULA vem do grego e significa “mulher que serve”. É uma profissional treinada para prestar assistência a mulher durante o ciclo gravídico-puerperal, onde fornece apoio emocional, físico e informativo às gestantes.
    Ficando por dois mandatos no Conselho Distrital de Saúde do Distrito Sanitário III, Lucelena inicia, efetivamente, sua defesa no fortalecimento do Controle Social. Participando ativamente das discussões para melhoria da população do seu território. “Entrei no conselho para trabalhar em prol da comunidade e das pessoas que não tem conhecimento”, relembra. Ouvir as demandas da população e saber que pode, de alguma forma, contribuir para a melhoria de vida e do bem-estar das pessoas, Lucelena chegou a ocupar espaços maiores de discussões como Fóruns, Grupos de Trabalho, Comitês de Ética, além, é claro, dos Conselhos de Saúde Municipal e Estadual.
      Enquanto esteve no CMS-Recife, Lucelena se fez presente, sobretudo, nas Comissões de Fiscalização e Articulação. “Poder visitar as Unidades, conversar com os usuários, saber os problemas que cada um passa e saber que eu poderei transmitir tudo ao secretário de saúde é uma tarefa muito gratificante”, destaca. Para Lucelena, fazer esse acompanhamento e está sempre cobrando dos gestores é uma maneira de ser a voz da comunidade. “Lutar pelos direitos das pessoas é trazer um bem comum para todos”, pondera.
    Mas, sua vida de militância não se restringe apenas a área da saúde. Nossa personagem ainda é membro integrante do Conselho de Igualdade Racial, do Conselho do Idoso e do Fórum de Educação.
     Atualmente, Lucelena faz parte do Colegiado do Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco (2017-2019), mas, devido a um derrame, sofrido no final do ano passado, a impossibilitou de continuar na sua militância, mas esse contratempo não deixou a vontade de viver de lado.
     Lucelena continua esbanjando seu grande e largo sorrido no rosto, cativando e contagiando a todos que a cercam.

 “Me sinto realizada. Fiz e faço o que gosto”
Lucelena Cândido dos Anjos


sexta-feira, 12 de abril de 2019

Eleição dos delegados para etapa Macrorregional da 9ª Conferência Estadual de Saúde de Pernambuco

      A cidade do Recife já tem seus representantes para participar da etapa Macrorregional da 9ª Conferência Estadual de Saúde (CES) que acontecerá nos dias 23 e 24 de abril, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. A escolha desses representantes se deu através de uma votação acirrada dentro da programação da 14ª Conferência Municipal de Saúde do Recife/Etapa Municipal da 16ª Conferência Nacional de Saúde realizada nos dias 28 e 29 de março de 2019.
     A Comissão Eleitoral, composta por representantes da Comissão Organizadora da 14ª Conferência, conduziu todo o processo dando as explicações necessárias dos procedimentos que envolveram a metodologia de eleição da delegação recifense. Os(as) delegados(as) foram separados(as) pelos seus respectivos segmentos, onde puderam eleger seus representantes.
   Ao todo, o Recife deve encaminhar 220 delegados(as) para participar da etapa macrorregional da 9ª CES. Desse total de participantes, foram eleitos(as), durante a 14ª Conferência: 100 Usuários(as), 55 Trabalhadores(as) e 55 gestores(as), totalizando 210 participantes. Como há vacâncias para o segmento Usuário, a Comissão Organizadora realizará uma assembleia específica para o preenchimento dessas vagas nesta sexta-feira, 12, na sede do CMS-Recife.
      O critério para concorrer às vagas restantes é ter sido delegado(a) credenciado(a) na 14ª Conferência e ter sido candidato(a) durante o processo de escolha da delegação recifense. “Percebemos que alguns candidatos não foram eleitos por não estar presente na hora da eleição ou acabou dando seu voto para outro delegado. Então, a comissão resolveu convocar todos os delegados que estão nessa situação para esse momento no conselho, onde faremos o preenchimento dessas vagas”, explica a vice-coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto.
       Com a realização dessa assembleia, a delegação do Recife estará completa.


Registro da Eleição do Segmento Usuário


 Registro da Eleição do Segmento Trabalhador

Registro da Eleição do Segmento Gestor/Prestador

Delegados elaboram propostas para etapa macrorregional da 9ª CES


      Ao longo dos dias 28 e 29 de março, delegados(as) e observadores da 14ª Conferência Municipal de Saúde do Recife/Etapa Municipal da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8) puderam elencar propostas que servirão de subsídio aos delegados(as) que avançaram para a etapa macrorregional da 9ª Conferência Estadual de Saúde (CES) de Pernambuco. Divididos em oito grupos, os participantes tinham a missão de discutir e priorizar suas propostas que contemplassem os âmbitos Regional, Estadual e Nacional.
     Cada grupo de discussão abordou um eixo temático da conferência. Fortalecimento da Atenção Primária; Média e Alta Complexidade; Investimentos em Saúde; Vigilância em Saúde; Controle Social; Assistência Farmacêutica; Financiamento do SUS; e Gestão Estratégica e Participativa na Saúde.
    Uma novidade no funcionamento dos grupos de trabalho foi a inserção das mesas temáticas que abordaram o tema proposto em cada grupo. “A proposta foi trazer pessoas que ajudassem os delegados na identificação do tema escolhido por eles. A mesa seria responsável por trazer o assunto de forma mais explicada, onde os delegados pudessem fazer propostas que fosse compreendidas por todos”, disse a conselheira membro da Comissão Organizadora, Edineide Ferreira. Cada mesa temática contou com a participação de convidados que possuem uma expertise em cada eixo.
       “Participei do grupo sobre financiamento do SUS e fiquei muito surpreso com o que foi apresentado pelas professoras convidadas”, conta o delegado e conselheiro da Unidade Joaquim da Costa Carvalho, Estenildo José dos Santos. “Mas, mesmo assim, conseguimos construir as propostas para os níveis correspondentes”, finaliza.
    A conselheira do Conselho de Unidade da UBT Fernandes Figueira, Marileide Cavalcanti, ressaltou a importância dos segmentos trabalharem em conjunto. “Houve um bom entrosamento da gestão com os usuários e trabalhadores. Em muitas discussões, a gestão apoiou as propostas que a gente queria. Estávamos alinhados porque lutamos todos em prol do SUS. Temos que dar as mãos para que o SUS não acabe”, disse a delegada que participou do grupo de Média e Alta Complexidade.
        Na avaliação do coordenador do CMS-Recife, Cristiano Nascimento, a participação social na conferência foi bastante positiva. “Vimos debates de nível bastante alto nos grupos temáticos e isso refletiu na aprovação de propostas de muita qualidade na plenária final. Além disso, vamos mandar um grupo muito qualificado para a etapa macrorregional da Conferência Estadual”, disse.
      Findado os trabalhos em grupo, as propostas aprovadas serão compiladas num documento que subsidiará os(as) delegados(as) eleitos(as) para etapa macrorregional da 9ª CES.

Grupo 1: Fortalecimento da Atenção Primária
Coordenadora: Fábia Andrade (CMS)
Expositor: Paulo Dantas (COSEMS/PE)
Debatedora: Ana Sofia Costa (Sesau/Recife)

Grupo 2: Desenvolvimento e aperfeiçoamento com acesso regionalizado às ações de Média e Alta Complexidade
Coordenadora: Ana Karla (CMS)
Expositor: Giliate Coelho (SES/PE)
Debatedora: Mônica Vasconcelos (Sesau/Recife)

Grupo 3: Fortalecimento da Política de Assistência Farmacêutica
Coordenadora: Marise Matwiszyn (CMS)
Expositor: Mário Moreira (SES/PE)
Debatedor: João Maurício (Sesau/Recife)

Grupo 4: Desenvolvimento das ações estratégicas de Vigilância em Saúde
Coordenadora: Íris Maria (CMS)
Expositor: George Dimech (SES/PE)
Debatedora: Joanna Freire (Sesau/Recife)

Grupo 5: Qualificação e inovação dos Processos de Governança e Gestão Estratégica e Participativa na Saúde
Coordenador: Euclides Monteiro (CMS)
Expositor: Domício Sá (FioCruz)

Grupo 6: Ampliação dos Investimentos em Saúde
Coordenadora: Sônia Pinto (CMS)
Expositora: Islândia Souza (FioCruz)
Debatedora: Alessandra Debone (Sesau/Recife)

Grupo 7: Fortalecimento do Controle Social
Coordenadora: Priscila Albuquerque (CMS)
Expositor: Jair Brandão (CNS)
Debatedor: Rosely Arantes (CES/PE)

Grupo 8: Financiamento do SUS
Coordenador: Cristiano Nascimento (CMS)
Expositor: Adriana Falângola (UFPE)
Debatedora: Sydia Oliveira (FioCruz)