terça-feira, 31 de agosto de 2021

Colegiado acompanha cronograma de obras das Unidades de Saúde da rede

 


Não é de hoje que o CMS-Recife recebe várias denúncias acerca das instalações das Unidades de Saúde da rede municipal. São inúmeras queixas acerca de infiltrações, mofos das paredes, portas quebras, banheiros interditados, espaços sem ventilação, enfim, uma série de demandas que precisam ser observadas e corrigidas para melhor atender aos usuários(as) do Sistema Único de Saúde (SUS). E pensando nisso, o CMS-Recife realizou a 352ª Reunião Ordinária que tratou sobre as infraestruturas das unidades do Recife.

“Esse é um momento bem oportuno, pois mostra que o Conselho está em sintonia com a gestão, pois um dos nossos primeiros compromissos foi fazer um levantamento das necessidades de infraestrutura das unidades”, disse a secretária de Saúde, Luciana Albuquerque. “Visitamos todos os Distritos, onde sistematizamos os desafios e preocupações da rede no que diz respeito a estrutura das unidades e o grande diagnóstico foi feito e já começamos a executar”, afirma.

Contando com mais de 270 imóveis, a Secretaria de Saúde oferta mais de 300 serviços para a população, contemplando todos os oito Distritos Sanitários e distribuídos em Unidades de Saúde da Família, Upinhas, Unidades Básicas Tradicionais, Centros de Saúde, Polos da Academia da Cidade, Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Policlínicas, UPAE, Maternidades, Hospital da Mulher e, mais recentemente, o Hospital do Idoso. “As unidades funcionam em imóveis próprios ou alugados, sendo, em média, 73% imóveis próprios ou cedidos e 27% imóveis alugados”, conta o gerente geral de Infraestrutura, Rubens Florêncio.

Rubens explicou que os imóveis foram classificados em três níveis: bom, regular e ruim. “Foi classificado como “Bom” o imóvel que poderá ou não precisar de reparos pontuais. O imóvel considerado “Regular” necessita de pequenas intervenções; e o imóvel considerado “Ruim” precisa de grandes intervenções”, conta. Do total de imóveis, cerca de 15% foi avaliado como ruim e precisarão de intervenções mais detalhadas.

Segundo Rubens, a classificação dos imóveis foi feita baseada na avaliação dos itens como pintura interna, pintura externa, instalações elétricas, instalações hidrossanitárias, pisos, esquadrias, estrutura da edificação, revestimentos internos, revestimentos externos, reservatório, forro, sanitários, cobertura, acessibilidade, muros e estacionamento.

Durante o ano de 2021, 15 unidades já passaram por manutenção, sendo 09 Unidades de Saúde da Família, 03 Polos de Academia da Cidade, 02 Unidades Básicas de Saúde e 01 Policlínica. E, em andamento, a sesau trabalha com mais 26 intervenções, sendo 24 de manutenção, 01 de reforma com ampliação e 01 construção.

Após as explanações, alguns conselheiros(as) fizeram questionamentos pontuais acerca das Unidades de Saúde que estão passando por intervenções, a exemplo da USF Vietnã, da USF José Severiano, da Upinha San Martin e da Upinha Poço da Panela, esta última com data prevista para entrega no final de outubro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário