quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Recife lança o Projeto Zikalab em parceria com outras cinco cidades

A coordenadora do CMS-Recife, Janaína Brandão, esteve presente na solenidade
        O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife participou do lançamento do Laboratório de Formação de Saúde no Contexto da Microcefalia, o Zikalab. A solenidade aconteceu no auditório Espaço Ciência e Cultura do IMIP, no bairro dos Coelhos, na última segunda-feira, 19. A proposta do projeto é que os profissionais sejam preparados para oferecer acolhimento às famílias e apoiar ações desde a prevenção até intervenções em bebês com microcefalia e outros agravos decorrentes da infecção pelo Zika. 
      Sediado em Recife, o projeto conta com a participação de mais cinco cidades brasileiras - Araguaína (TO), Campina Grande (PB), Cuiabá (MT), Juiz de Fora (MG) e Salvador (BA). O objetivo do evento foi a apresentação do Projeto Zikalab onde contou com exposições do atual cenário das arboviroses e Zika vírus no Brasil, em Pernambuco e no Recife, além de mostrar as estratégias que o município vem desenvolvendo no enfrentamento ao mosquito vetor da dengue, chikungunya e zika, além da Síndrome Congênita do Zika.
      Para a coordenadora do CMS-Recife, Janaína Brandão, o lançamento do projeto contribui com as ações que estão sendo desenvolvidas no município. "A importância desse projeto é a troca de conhecimentos e a oportunidade de multiplicá-los, fazendo com que os serviços possam estar preparados para acolher melhor essas mães, essas famílias e essas crianças com microcefalia", disse. "Para o Conselho, fica a defesa constante de um SUS universal, integral e equânime", finaliza.
      Janaína também ressaltou que é importante elaborar novas estratégias para chegar a população que convive com esse problema. "Precisamos lutar por mais recursos e ver outras formas de chegar a população. Devemos ser criativos e elaborar ações sistemáticas e intersetoriais, uma vez que, a doença acomete, de forma geral, famílias que vivem num contexto social, ambiental e econômico muito frágil", avalia. 
        Na ocasião, representantes do Ministério da Saúde e de Desenvolvimento Social, do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), do Fundo das Nações Unidas para Criança (Unicef), da Organização Panamericana de Saúde (OPAS), do Instituto de Pesquisa e Apoio ao Desenvolvimento Social (IPADS), da Sociedade Brasileira de Dengue (SBD-A) e das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde participaram no evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário