segunda-feira, 5 de junho de 2017

13a Conferência: Distrito VII realiza segunda microrregional

       Na tarde do último sábado, 03, foi realizada a plenária da Microrregião 7.2 com moradores das localidades de Brejo de Beberibe, Nova Descoberta e Passarinho. Acontecida na Escola Municipal Nova Descoberta, no bairro de Passarinho, a plenária teve o objetivo de ouvir a população, elencar propostas para a etapa Distrital da 13a Conferência Municipal de Saúde e conscientizar a população sobre a importância desses espaços que são criados para debater sobre a saúde local e o Controle Social.
        Com a presença de mais de 120 participantes, entre usuários e trabalhadores, a plenária foi iniciada com a formação da mesa de abertura, onde, entre os convidados, estavam o conselheiro, Oscar Correia, os representantes do Conselho Distrital de Saúde VII, Waldir Pereira e Silvânia Timóteo, da gerente Distrital, Ana Beatriz Vasconcelos e da representante da Secretaria de Saúde, Kamila Matos. "É sempre importante reforçar que este é o momento para que a gente possa elaborar propostas que serão levadas para as outras etapas da 13a Conferência", disse Oscar.
        A conselheira Lucelena Cândido, presente na plenária, mostrou como funciona os Conselhos de Saúde, qual seu papel e como o cidadão (ã) pode ser um conselheiro (a) de saúde, além de qualificar e quantificar o trabalho que é desenvolvido pelos colegiados da rede de conselhos. 
         Dentro das apresentações, a gerente do DS VII, Ana Beatriz, apresentou um panorama situacional do território dando ênfase à micro 7.2. Em sua fala, Ana Beatriz reafirmou o compromisso da gestão em fazer um estudo territorializado para ampliação do serviço de cobertura para as áreas inseridas na micro. "Estamos jundo com a comunidade para ver quais os problemas e, assim, resolvê-los", disse. "Esse é o momento de nos juntarmos para elaborar propostas que nos ajudem a melhorar a saúde de todos vocês", finaliza.
        Com o término das apresentações, foi aberto o debate. A usuária Irani reclama da falta de vacinação na Unidade Bruno Maia e da demora na marcação de consulta para especialista que, segundo ela, não estão sendo feitas. "Estou sem esperança para marcar meus exames", desabafa. Em resposta, Ana Beatriz informou que existe um problema elétrico na sala de vacinação do Bruno Maia, mas que já existe um projeto para sanar esse problema. Quanto a marcação dos exames, Beatriz fará um levantamento para entender quais são os motivos por essa demora.
        A Agente Comunitária de Saúde (ACS) Elisângela, da Unidade Vila Boa Vista, relatou problemas estruturais, no sistema de Regulação e na falta de insumos para desempenho das funções dos funcionários da unidade, a exemplo da falta de luvas. "Fica difícil para o trabalhador realizar o seu trabalho se não tem infraestrutura para fazer o atendimento ao usuário", dispara. A gerência do território ficou de verificar os problemas apontados pela ACS, mas adiantou que as luvas para trabalho está em processo de homologação.   
       Ao final, foram eleitos (as), por aclamação, 16 pré-delegados (as) do segmento Usuário e 07 pré-delegados (as) do segmento Trabalhador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário