quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Executiva pede esclarecimentos acerca da falta de medicamentos na rede

        Para discutir sobre a falta de medicamentos na rede de Saúde do Recife, a Comissão Executiva convocou representações da Assistência Farmacêutica (AF) da Secretaria de Saúde (Sesau) para prestar esclarecimentos sobre as diversas denúncias que o CMS-Recife vem recebendo. Uma solicitação da Comissão de Fiscalização, a referida reunião teve como princípio ouvir a gestão sobre os problemas quanto a aquisição e dispersão dos medicamentos e insumos que, por vezes, não são encontrados nas farmácias das unidades de Saúde.
       “Nosso propósito, enquanto Comissão de Fiscalização, é vistoriar as unidades de saúde e verificar quais são os problemas que mais atingem os usuários do SUS, e entre eles estão a falta de medicamentos”, disse a coordenadora da referida comissão, Lucelena Cândido. “Por isso que chamamos os responsáveis pelas farmácias para nos esclarecer o que está acontecendo na rede”, finaliza.
         De acordo com relatórios da Fiscalização, mais de 30 medicamentos estão em falta na rede e isso acarreta perdas significativas no tratamento de pacientes hipertensos e diabéticos, por exemplo. Em resposta, a gestão reconhece o problema, mas diz que vem dialogando, sistematicamente, com sua equipe para monitorar e diminuir os impactos que a falta de medicamentos ocasionam na rede. Foi dito também que essa é uma pauta prioritária da gestão e foi ressaltado que muitos dos medicamentos serão ou já estão sendo repostos.
          Outro ponto discutido foi a questão a empresa contratada pela Sesau para distribuir os medicamentos e insumos: a SaúdeLog. Para os conselheiros, a logística adotada não atende as necessidades da rede. “Queremos uma cópia do contrato da SaúdeLog para que esta casa tenha conhecimento do quanto é gasto e quais são as atividades que a empresa realiza”, disse a vice-coordenadora do CMS, Keila Tavares.
          O diretor executivo de Administração e Finanças da Sesau, Felipe Bittencourt, disse que um grande problema era a localização da empresa (localizada em Jaboatão dos Guararapes), mas, este ano, a gestão garantiu um galpão próprio o que, segundo ele, irá melhorar na dispersão dos medicamentos e insumos. “Estamos fazendo a migração dos nossos insumos para a Guabiraba o que agilizará o processo de entrega nas farmácias, pois ficará mais próximo da gente”, conta. Felipe também se prontificou de encaminhar o atual contrato da SaudeLog que, aliás, foi renovado por mais um ano.
        Além do diretor executivo de Administração e Finanças da Sesau, a gerente geral de Alta e Média Complexidade, Mônica Vasconcelos e os representantes da AF, João Maurício e Laura Maria Araújo, participaram da reunião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário