sexta-feira, 3 de junho de 2022

Conselho faz avaliação da 15ª Conferência

 


Com a finalização da 15ª Conferência Municipal de Saúde do Recife, que aconteceu nos dias 17, 18 e 19 de maio de 2022, no Centro de Eventos Recife, Imbiribeira, o Colegiado do CMS-Recife se reuniu para fazer uma avaliação desse evento tão importante para o Controle Social. A avaliação ocorreu durante a 361ª Reunião Ordinária que, devido as fortes chuvas que assolam a região metropolitana do Recife, aconteceu em formato online.

Como de praxe, houve uma apresentação mostrando todo o processo de construção da Conferência, onde o assessor de Comunicação do Conselho, Carlos Diego Lins, apresentou cada detalhe desde a formação do Grupo de Trabalho até a participação final dos(as) participantes da 15ª Conferência.

O coordenador do CMS-Recife, Oscar Correia, se sente com o dever cumprido por ter concluído esta conferência. “Foram meses discutindo e rediscutindo cada ponto da conferência, mas, a gente conseguiu terminar ela com uma boa participação e sem muitos problemas. Foi uma conferência que priorizou a defesa do Controle Social e do SUS sempre pensando na melhoria dos moradores do Recife”, avalia.

Para a vice-coordenadora do CMS, Janaína Brandão, o Conselho está de parabéns. “A conferência foi linda, do ponto de vista da participação social, organização e tudo que envolveu a realização desse evento, que é o apogeu do Controle Social no SUS”, disse.

Janaína ainda relembra que a construção da 15ª Conferência foi um trabalho muito bem pensado para atender as necessidades da [época. “Foi um desafio fazer essa conferência. Logo no início a gente nem sabia como fazer. A gente sabe que a participação é no olho a olho, fazendo a boa política em defesa do SUS. A gente foi muito assertivo, estudou, procurou modelos, foi uma loucura, e é muito gratificante terminar e trazer o simbolismo, quando fala do povo e da energia”, enaltece.

A secretária de Saúde do Recife, Luciana Albuquerque, se viu muito satisfeita com a Conferência. “Respeito. Essa foi a marca da nossa conferência. Ainda que a gente discordasse e o debate ficasse mais acalorado, mas, de forma geral, foi muito respeitoso”, disse a titular da pasta. “A gente viu nessa conferência que todas as propostas estão em muita consonância com o nosso momento. Vê o que Recife está precisando e vê o que, de fato, precisa ser priorizado está ali”, conclui.

Aliás, a participação de Luciana Albuquerque foi um ponto muito destacado durante a reunião. Para os conselheiros(as) e participantes do pleno, o fato da secretária ter marcado presença em todos os momentos da conferência, mostra o quanto ela é compromissada com os anseios da comunidade e com o fortalecimento das políticas de saúde.

Para o delegado e conselheiro Distrital VIII, Lucas Estevão, a organização ditou a realização da 15ª. “Essa Conferência foi muito organizada e eu pude sair fortalecido enquanto usuário do SUS em participar desse evento”, disse. Já delegada e conselheira Municipal, Edineide Ferreira, enaltece o trabalho da Comissão Organizadora em meio aos problemas encontrados durante o processo da conferência. “Essa conferência ficará marcada na história. Uma conferência iniciada em plena pandemia e realizada em um quase pós-pandemia, em meio a tantos problemas estruturais encontrados, mas concluída com muita organização”, avalia.

A delegada e conselheira Municipal, Liana Lisboa, trouxe uma reflexão acerca da participação do segmento trabalhador nesta conferência. “É preciso saber o porquê dessa defasagem dessas diversas categorias. Será que foi por causa deles estarem desacreditados? Será que não houve uma melhor divulgação?”, indaga, se referindo aos dados mostrados durante a apresentação, onde evidenciou que os Agentes Comunitária de Saúde (ACS) foi a categoria com maior participação nessa conferência. Esse é ponto de partida para que o CMS-Recife faça uma análise mais detalhada e resgate todos os motivos que podem ter causado a diminuição deste segmento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário