segunda-feira, 18 de maio de 2015

Dia Internacional de Combate à Homofobia

     Ontem, domingo (17), foi celebrado o Dia Internacional de Combate à Homofobia. A data, que foi instituída em 1990, foi em comemoração a exclusão do homossexualismo da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID) das Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1990. Com o tempo, a data passou a ser o símbolo do combate à homofobia que, entre outras designações, é a antipatia, desprezo, preconceito, aversão a população LGBT através de comportamentos ligados ao assédio moral, bullying, violência física e até homicídios.
     A conselheira e representante da Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco (AMOTRANS) no CMS-Recife, Rivânia Rodrigues, falou que a data é um grande marco na luta contra a homofobia. "A data [17 de maio] veio para comemorar a saída do homossexualismo do holl de doenças há 25 anos. E como representante de um segmento, lutamos pela visibilidade dos trans e travestis para que tenham garantido o seus direitos, como o nome social inscrito no cartão SUS, por exemplo".
   O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife acompanha as atividades desenvolvidas pela coordenação da Política Municipal de Saúde Integral da População LGBT, que foi aprovada pelo colegiado e lançada em setembro do ano passado. Dentre as ações que são desenvolvidas pela coordenação da política LGBT estão oficinas voltadas aos profissionais da saúde para sensibilizar e humanizar ao atendimento dessa população. 
     Nessa perspectiva, Rivânia Rodrigues ressalta que "as capacitações são de suma importância, mas é preciso que estejamos sempre vigilantes para que todos os Distritos trabalhem em consonância com os direitos humanos". "Precisamos também criar instrumentos documentais para disponibilizar as especificidades de cada segmento, ou seja, criar um cartilha sobre lésbicas, trans, travestis, etc", conclui.
    Abaixo, está uma cartilha, produzida pela Comissão de Direitos Homoafetivos do MPPE, em parceria com diversas instituições, contento informações e os direitos da população LGBT. Vale a pena conferir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário