sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Colegiado discute Política de Saúde Bucal

      Em reunião realizada no dia 24 de novembro, o colegiado do CMS-Recife se reuniu para acompanhar a apresentação da Política de Atenção à Saúde Bucal do Recife. Sendo um dos pontos da pauta da 302a Reunião Ordinária, a Política tem como objetivo o fortalecimento de ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde através de diretrizes que valorizam a atenção básica como eixo estruturante.
     Sob a apresentação da coordenadora da Política, Juliana Couto, que apresentou os serviços, ações, a logística e as parcerias com outras políticas de saúde, a exemplo do PSE, Saúde da Mulher e do Consultório de Rua, entre outros. "Nosso maior objetivo é a redução dos riscos e agravos em Saúde Bucal a partir da garantia do acesso da população a serviços de qualidade", disse Juliana. "Quero aproveitar a oportunidade para enfatizar a importância da participação do Controle Social para o fortalecimento da Política Municipal de Atenção à Saúde Bucal", finaliza.
     Aberto o debate, a conselheira Ana Lúcia Dantas disse que, embora haja avanços positivos, a exemplo da residência e da manutenção e prevenção do serviço, existem pontos que precisam ser revisto. Nesse sentido, a conselheira questiona se existe algum cronograma para expansão das equipes de saúde bucal, pois, segundo ela, a cobertura ainda é baixa. Além disso, quis saber sobre a Educação Permanente dos profissionais de Saúde Bucal. "Existe uma diferença gritante entre os Distritos Sanitários no que se refere a cursos que são oferecidos. Não tem uma padronização e os Distritos apresentam diferenças", ressalta.
     Em resposta, a gerente da Atenção Básica, Ana Beatriz Vasconcelos, disse que existe uma preocupação em aumentar o número de equipes. "Temos o compromisso de ter equipes proporcionais ao número de equipe de saúde da família, ou seja, ser um para um. Estamos no aguardo do concurso público que está para sair em meados de fevereiro", disse. Quanto as capacitações, Ana disse que está atenta a questão. "Estamos em contato constante com a SEGTES para garantir que o curso ofertado por alguma instituição de ensino seja contemplado para toda a rede e não para um grupo específico", afirma.
       O Conselheiro Rodrigo Barbosa disse que acompanha as ações realizadas dentro das escola municipais, mas questiona se esse serviço é apenas realizado em momentos específicos. Aproveitando a oportunidade, o conselheiro perguntou se já foi solucionado o problema da caixa d´água nas unidades Berilo Pernambucano e São José do Coque, pois a falta de água acarreta na paralisação do serviço.
       Como resposta, foi informado que cada unidade de saúde possui um cronograma e que desenvolve, sistematicamente, atividades nas escolas e em grupos específicos, a exemplo das mulheres grávida. "Existe um cronograma de atividades de educação em saúde bucal nas unidades onde são trabalhados questões como a sobre escovação supervisionada, aplicação de flúor, orientação de higiene oral, entre outros", disse Juliana Couto.   
      Ainda dentro da pauta, o assessor de Comunicação e Imprensa do CMS-Recife, Carlos Diego Lins, apresentou uma normativa que traz os critérios que serão adotados no que se refere às representações do Conselho em eventos dentro e fora de Pernambuco. Ao final, o documento foi aprovado pelo colegiado.
      Além disso, o colegiado elegeu representantes para participar da 3a Marcha em Defesa da Saúde, da Seguridade Social e da Democracia, que acontecerá no dia 7 de dezembro, em Brasília/DF; e para o Fórum Social Temático que acontecerá em Porto Alegre, entre os dias 24 e 28 de Janeiro de 2017. O colegiado também aprovou a proposta de recesso do final de ano do CMS-Recife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário