segunda-feira, 29 de maio de 2017

Secretário apresenta balanço de ações no CMS-Recife

       O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife recebeu, na tarde de última quinta-feira, 25, o secretário de Saúde do Recife, Dr. Jailson Correia, para apresentar o balanço das ações desenvolvidas pela Secretaria de Saúde nos últimos quatro anos (2013-2016). A apresentação, que foi um pedido do próprio secretário, foi o assunto principal da 308ª Reunião Ordinária do CMS-Recife.  “É uma missão muito nobre está secretário de saúde e ser conselheiro de saúde, pois sou militante há mais de 20 anos e essa é uma daquelas oportunidades para renovar o compromisso com este conselho em está mostrando as ações nos quatro primeiros anos do governo do prefeito Geraldo Julio", disse Jailson.
        Para a coordenadora do CMS-Recife, Janaína Brandão, a apresentação de Jailson servirá como parâmetro nas discussões da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. “[Esta apresentação] é uma necessidade para o conselho, afinal, estamos nas etapas da conferência e essa discussão poderá subsidiar na construção de propostas para a conferência de saúde”, ressalta.
      Na apresentação, Jailson mostrou, de forma detalhada, as ações, os serviços e os investimentos inseridos na saúde do Recife entre 2013 e 2016. “Nosso objetivo foi incrementar os investimentos em saúde e fazer da saúde uma prioridade. Prova disso, são os mais R$ 185 milhões de reais investidos em saúde nesse período”, dispara. O valor de investimento apresentado é cerca de nove vezes maior se comparado com os quatro anos anteriores (2009-2012).
    Além disso, Jailson apresentou outros pontos significativos durante esse período: o fortalecimento do trabalho integrado nas políticas de saúde, além de ações sistemáticas realizadas em vigilância sanitária, saúde bucal, programa Mãe Coruja, Regulação Assistencial, a inauguração do Hospital da Mulher, a modernização e descentralização do SAMU, foram alguns dos itens apresentados.
       Aberto o debate, Jailson passou por uma verdadeira sabatina, onde respondeu todos os questionamentos dos conselheiros e conselheiras. Um dos questionamentos foi a recorrente falta de medicamentos e insumos nas Unidades de Saúde da rede, problema esse que foi apresentado nas falas dos conselheiros (as) Lucelena Cândido, Isaac Machado, Sônia Pinto, Sebastiana Maria e Vera Lúcia.
       O secretário respondeu dizendo que o Recife passa por um “momento muito duro” e que é preciso uma “tomada de decisões severas” quanto a disponibilização de certos medicamentos. Porém, Jailson ressalta que a gestão está fazendo o possível para sanar eventuais problemas de logística na distribuição desses medicamentos, mas também faz um alerta. “A priorização será a oferta de medicamentos da cesta básica. Podendo, inclusive, deixar de ser ofertado algum outro medicamento para que seja garantindo esses medicamentos da cesta básica”, enfatiza ao dizer Recife oferta muito mais do que é preconizado pelo Ministério da Saúde.
       A conselheira Juliana Cesar aproveitou a oportunidade para questionar quais são as atividades que os Distritos Sanitários estão fazendo para integrar a política LGBT. Além disso, a conselheira ressaltou que existe uma grande deficiência no que se refere a política DST/Aids. “Não existem campanhas para as DST e a gente não pode fazer ações de prevenção para ser apenas testagem rápida em grandes eventos”, disse. “Temos dificuldade na realização de exames e na chegada dos resultados. Falo isso não somente para os casos de DST/AIDS, mas para todos os outros serviços”, finaliza.
      Jailson informou, em primeira mão, que está sendo finalizado um sistema de divulgação dos resultados dos exames laboratoriais para toda a população. “[Esse é um] trabalho revolucionário, onde mais de oito mil resultados de exames estarão disponíveis online para que cada usuário possa acessar seu resultado usando a internet”, disse. “E isso, certamente, trará um impacto interessante para os usuários”, finaliza.
      Para a conselheira Claudia Martins, a gestão deve ter um olhar mais atento para cumprir acordos estabelecidos para as reformas e construções de novas unidades. “Não entendo como Rio da Prata (Ibura), que tem recurso desde 2009, ainda não teve a sua obra concluída. O que está faltando para ser concluída?”, indaga. Outro ponto destacado pela conselheira foi a ampliação da Farmácia da Família. “Temos uma população que envelheceu e o modo como essas farmácias estão sendo instaladas, são desumanas e por isso, acho que esse modelo deve ser revisto”, completa.
        Para Jailson, o modelo da Farmácia da Família é o caminho que se deve tomar. “[Esse modelo] agrega qualidade, melhora a possibilidade da supervisão direta do farmacêutico, garante a distribuição melhor no território, mas tem o inconveniente do chamado centralização qualificada”, disse. Entretanto, o secretário afirmou que, por ter opiniões adversas, “podemos retornar com esse debate e discutir mais sobre a Farmácia da Família”. Sobre as obras de Rio da Prata e da UPAE no Ibura, Jailson falou que “a expectativa é a retomada das obras ainda este ano, com entrega prevista até o final do ano para a Unidade de Rio da Prata”, disse.
       Finalizando o debate, a coordenadora do CMS-Recife, Janaína Brandão, agradeceu ao secretário pela participação na reunião e aproveitou o momento para reconhecer a parceria entre a gestão e o CMS-Recife. “Temos sido beneficiados nessa gestão, onde a secretaria tem nos apoiado em nossas ações e, mesmo com alguns entraves, como é o caso da realização do Fórum Aberto, ainda sim, nos dão respostas as nossas solicitações”, disse. Janaína também ressaltou o fortalecimento dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS), onde cada CDS vem recebendo equipamentos e suplementos para o seu pleno funcionamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário