terça-feira, 26 de maio de 2020

Executiva faz reunião por videoconferência


       De forma ampliada, a Comissão Executiva do CMS-Recife se reuniu na tarde de ontem, segunda-feira, 25, para discutir sobre questões burocráticas quanto ao mandato dos(as) conselheiros(as), bem como avaliar assuntos de relevância pública relacionados ao Plano de Enfrentamento ao novo coronavírus na capital pernambucana.
       Conforme consta no Regimento Interno do CMS-Recife, o colegiado do Conselho deve passar por uma eleição a cada dois anos. O atual mandato dos(as) conselheiros(as) teve seu fim em abril último, mas, devido as medidas de isolamento social em decorrência a grave pandemia da Covid-19, as eleições não ocorreram e tampouco a mudança do colegiado, ambas as atividades foram adiadas por tempo indeterminado.
    Nesse sentido, a Comissão Executiva consultou alguns órgãos da sociedade para verificar a legalidade dos atos do CMS nesse período de crise em que o país passa. “Solicitamos parecer jurídico da Procuradoria do Recife e do Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco, para que possamos realizar nossas atividades como plenária, sem que isso gere problemas futuros”, pontuou o coordenador do CMS-Recife, Cristiano Nascimento.
        Após as análises dos pareceres, a Executiva saiu com o indicativo de realizar, a cada 15 dias, uma reunião ampliada, ou seja, qualquer membro do CMS-Recife pode participar da reunião. Havendo necessidade de deliberação, ocorrerão os devidos debates e a tomada de decisões será enviada via e-mail para o colegiado votar e posteriormente dar ciência do resultado.
    Ainda em reunião, ficou acordado que na próxima quinta-feira, 28, às 19h, os conselheiros Cristiano Nascimento e Sônia Pinto, coordenador e vice-coordenadora do CMS-Recife respectivamente, promoverão uma live na página oficial do CMS-Recife no Instagram para explicar com maiores detalhes o atual momento que o Conselho passa.
        Além disso, a Comissão de Orçamento analisará as respostas repassadas pela SESAU referente ao uso de recursos para o enfrentamento à Covid-19.
   Por fim, a Executiva enviará documentos solicitando informações quanto a disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) nas unidades que estão faltando; Qual critério técnico utilizado para os hospitais de campanha quanto ao formato de OSS; Quais serão os critérios a serem utilizados para realização dos dois (02) mil testes semanais da Covid-19, em parceria com a UFPE; Quais as medidas e situação atual das Políticas de Saúde; Solicitando análise e parecer dos gastos no enfrentamento à Covid-19 do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco; Parecer do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI) sobre os valores dos imóveis utilizados para os hospitais de campanha; entre outros pontos.