sábado, 20 de junho de 2015

12ª Conferência Municipal de Saúde foi um sucesso

     Durante três dias seguidos (16, 17 e 18/06), cerca de 600 pessoas, entre usuários, trabalhadores, gestores, observadores e convidados, participaram da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Realizada no Centro de Convenções, em Olinda/PE, a 12ª Conferência teve como objetivo avaliar e elencar propostas que serão encaminhadas às conferências de saúde, etapas estadual e nacional, que acontecerão ao longo de 2015.

      Com o tema central "Saúde Pública de Qualidade no Recife: Direito de Todos e Todas e Dever do Estado", a conferência foi a culminância de um processo que envolveu a realização de 19 plenárias microrregionais e seis plenárias Distritais.
     No primeiro dia de evento (terça-feira, 16), os participantes se credenciaram e participaram de um momento de descontração dançando um forró tipicamente nordestino que, com a ajuda de profissionais da Academia da Cidade, animou toda a plenária.


     Na abertura, o coordenador do CMS-Recife, Oscar Correia, falou das conquistas desse colegiado biênio 2014-2016 que, entre outras ações, aprovou edital para criação de conselhos de unidade em todos os equipamentos de saúde da rede, inclusive em unidades de saúde da família e polos da Academia da Cidade, e recomendações para melhorias das políticas e programas que são ofertados pela Secretaria de Saúde. Emocionado, Oscar Correia falou que o dia era muito especial para o colegiado, enaltecendo a organização da conferência. "Hoje (16/06) é um dia que representa a luta e resistência de um colegiado, que há um ano e três meses, vem dedicando-se dia a dia nas atividades do Conselho. E que, embora boa parte dos conselheiros serem novos, vimos que a organização dessa conferência seria um ato desafiador, mas não nos intimidamos na realização do trabalho sistemático para a realização, não só desse momento, mas também do funcionamento das atividades desenvolvidas pelos atores do Controle Social", disse Correia, lembrando que o novo colegiado teve uma renovação de 70% de seus membros.

    Além do coordenador do CMS-Recife, também estiveram presentes o vice-prefeito da Cidade do Recife, Luciano Siqueira; do secretário de Saúde do Recife, Jaílson Correia; a conselheira Nacional de Saúde, Verônica Lourenço; a Promotora do Ministério Público de Pernambuco, Dra Helena Capela; a secretária-executiva de Coordenação Geral da Secretaria de Saúde do Estado, Ana Cláudia Callou; a representante do Ministério da Saúde em Pernambuco, Maria de Fátima Helene; a secretária de Saúde de Olinda, Tereza Miranda; e o vereador Rogério de Lucca.
Mesa de Abertura
    A programação do primeiro dia ainda contou com uma explanação sobre o tema central da conferência feita pelo assessor técnico do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde, Paulo Dantas, e pela conselheira Municipal, Rosângela Albuquerque. Ainda foram feitas a leitura e aprovação do Regimento Interno da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife pelos conselheiros Paulo Roberto, Oscar Correia e Keila Tavares.

     A preocupação de fazer uma conferência que atendesse aos requisitos básicos do Controle Social sempre norteou as discussões ao longo do processo de confecção da conferência. Segundo o conselheiro distrital do Conselho Distrital II, Antônio Gomes, essa conferência veio para somar na construção do SUS. "A participação popular foi bem representada nessa conferência. Todos os segmentos estavam juntos para construir propostas que ajudam na melhoria da saúde", disse. Questionado sobre a resolutividade das propostas, Antônio foi bem enfático. "Se não acreditasse [na execução das propostas] não estaria aqui. Acredito que boa parte delas sejam cumpridas", finaliza.
O conselheiro Distrital II, Antônio Gomes, ressaltou que a participação popular foi
um diferencial para essa conferência 
     No período da tarde, a programação ainda trouxe as mesas temáticas “Financiamento tripartite do SUS e as perspectivas para o setor da Saúde”, coordenada pelo conselheiro municipal Renê Guedes e debatida pelos convidados Shirleyanne Brasileiro (Coordenação Estadual do Núcleo de Economia da Saúde - PB), Gessyanne Paulino (Presidente do COSEMS-PE) e Roseanne Lemos (Coordenação Estadual do Núcleo de Economia da Saúde - PE) e “Comunicação em Saúde e interações com as redes sociais”, coordenada pelo conselheiro municipal José Ribeiro e debatida pelos convidados Isabel Levy (FioCruz-RJ), Patrícia Horta (UFPE) e Diego Gouveia (Faculdade Pernambucana de Saúde - FPS).


Mesa Temática: "Financiamento Tripartite do SUS e as perspectivas para o setor Saúde"
Mesa Temática: "Comunicação em Saúde e interações com as redes sociais"
Dentro da solenidade de abertura, a conselheira Cleide Barbosa (segmento Usuário) foi homenageada pelo colegiado que reconheceu à sua luta no fortalecimento do Controle Social na cidade do Recife.

12ª Conferência: Grupos debatem os oito eixos temáticos


     No segundo dia da 12ª Conferência Municipal de Saúde, os delegados debateram os oito eixos temáticos que nortearam todas as discussões dentro da conferência. Embalados pela animação dos profissionais da Academia da Cidade, os participantes se exercitaram e tomaram fôlego para os trabalhos que foram desenvolvidos ao longo do dia.

     A mesa coordenadora, formada pela conselheira Keila Tavares e pelos conselheiros Oscar Correia e Paulo Roberto, deram as explicações do funcionamento dos oito Grupos de Trabalhos que discutiram os eixos temáticos da conferência. Entre as normas, estavam a elaboração de 10 propostas a nível Municipal, 05 propostas a nível Região de Saúde (o que corresponde a I GERES), 05 propostas a nível Estadual e 05 propostas a nível Nacional.
Mesa coordenadora explicou os procedimentos dos Trabalhos em Grupo
      O secretário de Saúde do Recife, Jaílson Correia, também participou desse momento e ressaltou que a conferência de saúde é um espaço essencial para a melhoria do SUS. "Nós estamos dando um passo importante na construção do Sistema Único de Saúde. Tivemos, nos grupos de Trabalho, um alto nível de discussão com debates, por muitas vezes, acalorado e aguerrido", disse.
Jaílson Correia enalteceu o alto nível dos debates
     Os oito eixos temáticos foram: Direito à Saúde, Garantia de Acesso e Atenção de Qualidade; Participação Social; Valorização do Trabalho e da Educação em Saúde; Financiamento do SUS e Relação Público-Privado; Gestão do SUS e Modelos de Atenção à Saúde; Informação, Educação e política de Comunicação do SUS; Ciência, Tecnologia e Inovação no SUS; e Reformas Democráticas e Populares do Estado.

Eixo I
Eixo II
Eixo III
Eixo IV
Eixo V
Eixo VI
Eixo VII
Eixo VIII

     A conselheira Municipal de Saúde, Ana Lúcia Dantas (segmento Trabalhador), participou de sua primeira conferência e contou como foi a experiência. "Achei de um nível muito alto, não só de ideias e propostas, mas na organização também. A condução dentro dos trabalhos em grupo foi bem sucedida e os embates ocorridos foram bem produtivos", ressaltou. Ana participou do eixo que debateu a atenção à Saúde. Já o conselheiro Municipal de Saúde, José Cleto (segmento Usuário), fazendo uma avaliação das ações desenvolvidas nos três dias da 12ª Conferência, disse que "não existe uma conferência mais democrática como essa".
O conselheiro José Cleto em fala na conferência
     Para o delegado, Paulo Murilo (segmento Trabalhador), do Distrito Sanitário VII, a conferência desse ano foi muito organizada e as discussões trataram de muitos aspectos para a saúde. "Estamos aqui para aprovar os objetivos de nossas propostas e que elas sejam validadas saindo do papel", disse. A delegada e conselheira de Unidade do Distrito Sanitário I, Otávia Félix (segmento Trabalhador), falou que a 12ª Conferência trouxe muita inovação e agilidade na condução dos trabalhos. "A tecnologia é outra. O sistema de votação das propostas foi muito rápido e isso melhorou no andamento das atividades", disse, ressaltando o mecanismo adotado pela Comissão Organizadora da conferência em realizar a votação das propostas com a ajuda do keypad, um aparelho específico para votação eletrônica dando o resultado da votação em poucos segundos.
Participando de sua segunda conferência, Paulo Murilo ressaltou a ótima organização
da 12ª  Conferência Municipal de Saúde do Recife
      Ao final, os trabalhos produzidos nos grupos foram apresentados á plenária final (dia 18/06) para ciência e votação das propostas que obtiveram menos de 70% de aprovação nos grupos. Agora, a relatoria da conferência deverá consolidar o material aprovado e disponibilizá-lo num Relatório Final com prazo final em 31 de julho.

Delegação do Recife espera pela conferência Estadual

     A cidade do Recife já tem seus representantes para a 8ª Conferência Estadual de Saúde Vera Baroni que acontecerá entre os dias 14 e 17 de setembro, em Gravatá/PE. A escolha se deu através de uma votação acirrada dentro da programação da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife que ocorreu entre os dias 16 e 18 de junho deste mês.
     A Comissão Eleitoral, composta por representantes do Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, conduziu todo o processo dando as explicações necessárias dos procedimentos que envolveram a metodologia de escolha da delegação recifense.
     Ao todo foram eleitos 122 Usuários e 61 Trabalhadores. Esse montante será adicionado aos 61 gestores (indicados) para participar da já citada conferência estadual, totalizando 244 participantes para a etapa Estadual das Conferências de Saúde.
A delegada Liana Lisboa depositando o voto para o segmento Trabalhador
A delegada Ana Creonice (segmento Usuário) escolheu seu representante
para a 8a Conferência Vera Baroni


*A Comissão Eleitoral foi composta pelas conselheiras Elivânia Rodrigues, Lucelena Cândido e Rosângela Albuquerque e pelos conselheiros Luciano Ferreira, Paulo Roberto, José Pereira e Carlos Freitas.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Inscrições para Observador estão encerradas

       As inscrições para observador da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife foram um sucesso. Em poucos minutos, todas as vagas foram preenchidas. O CMS-Recife agradece o empenho daqueles que quiseram se cadastrar, mas não conseguiram, e parabeniza os 80 que conseguiram assegurar sua vaga. 

 
Abaixo, confira a programação da 12ª Conferência:
 

 

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Link de inscrição para Observadores



ATENÇÃO
     Como foi dito anteriormente, as pessoas que quiserem participar da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife, devem fazer suas inscrições, como Observador, através do link disponibilizado pelo CMS-Recife neste blog.
     Logo abaixo está o endereço eletrônico que dá acesso a ficha de inscrição.


LINK DE INSCRIÇÃO:
http://www.recife.pe.gov.br/pr/secsaude/12conferenciasaude/cadastro/php/index.php


*lembrando que as inscrições só estarão abertas a zero hora (0h) desta segunda-feira, 15.

CMS-Recife prestará homenagem a conselheira Cleide Barbosa

      O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, concederá uma homenagem a conselheira Municipal Cleide Barbosa dentro da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. O reconhecimento será dado pela sua luta no fortalecimento do Controle Social dentro da Cidade do Recife. Diante disso, resolvemos contar um pouco da história dessa mulher, mãe, guerreira e conselheira.



Superação. Talvez essa seja a palavra que defina Rosicleide Barbosa da Silva. Nascida na Cidade do Recife, em 1977, Rosicleide, ou simplesmente Cleide, como gosta de ser chamada, vem de uma família, que totaliza 17 irmãos. Sendo a caçula mulher, Cleide viveu boa parte de sua vida na capital pernambucana, mas precisamente no bairro de Campo Grande, na comunidade do Chié.

Filha de servidores públicos, Cleide viu seu mundo dar uma reviravolta quando sua mãe sofreu um acidente que a deixou impossibilitada de trabalhar, forçando-a a se aposentar.  Devido a depressão, sua mãe procurou na bebida uma saída, mas isso a tornou dependente do álcool. Por incentivo e perseverança de Cleide, deixou o vício. Faleceu em 2010. Contava com a ajuda de sua avó Izabete, uma pescadora natural de Maceió que a ajudava no cuidados de sua mãe e de seus irmãos. Posteriormente, Cleide também cuidou de sua avó, falecida em 2000.

O primeiro trabalho que tem lembrança é como zeladora particular do cemitério de Santo Amaro, onde limpava túmulos e jazidos, já aos nove anos de idade. Aos 14, influenciada pelo pai, pegou gosto pela política. Aos 15, fundou o grupo “Pérolas Negras”, que desenvolvia um trabalho voltado para discriminação social onde ministrava palestras, passeios educacionais, oficinas ao ar livre, entre outras ações. O grupo era aberto para toda a comunidade do Chié e os encontros aconteciam na capela de São Sebastião, também naquela comunidade.

Aos 18 anos, casou-se. Aos 19, passou uma temporada na Bahia. Aos 20, retornou ao Recife e teve seu primeiro filho. Diógenes Lira de Oliveira Junior. Recifense, assim como a mãe. Ao todo foram quatro filhos. Todos prematuros, mas com o mesmo amor.

Tendo o segundo grau completo, Cleide passou pelos colégios Imaculado Coração de Maria, Poeta Jonathas Braga e Santa Paula Franssinette. Na adolescência, chegou a fazer cursos de datilografia e espanhol.

Em 1998 ingressou no Grupo Origem onde fazia um trabalho de incentivo ao aleitamento materno. Sua função era acompanhar as gestantes e seu empenho lhe rendeu o convite para ser promotora do aleitamento materno. Permaneceu do grupo por 10 anos.

No final daquele ano, entrou para a pastoral da Criança e do Adolescente. Participava dos encontros como mãe, mas, devido sua vontade de aprender, se capacitou e se tornou líder da pastoral por 15 anos.

Começou sua militância como conselheira em 2008 quando assumiu a representatividade no Conselho de Segurança Alimentar de Olinda. Mas, seu mandato demorou pouco, pois não se identificou com o trabalho desenvolvido pelo conselho.

Mas o futuro lhe preparava uma surpresa. Após participar de uma conferência de saúde, Cleide ficou encantada e teve a certeza que queria fazer parte do Conselho de Saúde. “Seria a realização de um sonho”, comenta.

Mas não foi fácil ser conselheira. Cleide teve que superar o preconceito contra si, por se achar inferior aos representantes do Controle Social. “Os achava [os conselheiros] superiores e também achava que não tinha capacidade de participar de um conselho dessa magnitude”. Passada a adversidade, aceitou o desafio de ser conselheira municipal. Cleide conta que participar das reuniões do colegiado do CMS-Recife a fez sentir como se fosse uma aluna de faculdade.

Rosicleide relembra do seu primeiro dia como conselheira debatendo sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST), onde não se intimidou com os demais e levantou questionamentos. Todos a observavam. Todos a encaravam. Todos a assistiam.

Com um largo sorriso no rosto, Cleide diz que o Conselho de Saúde é sua casa e nele pode amadurecer, não somente como militante, mas como pessoa, aprendendo a lidar com as diferenças e com a realidade da saúde. Hoje, a conselheira está no seu segundo mandato.

Cleide também passou quatro anos como conselheira da Mulher onde defendia os direitos das mulheres, mas sem radicalidade. Acredita que essa forma de agir foi devido ao pai machista. Aliás, a própria se acha um pouco machista. “Eu via o lado humano e não somente o lado da mulher”, comenta.

No CMS-Recife, Cleide representa o Instituto de Desenvolvimento Social (IDS), uma entidade de âmbito nacional que desenvolve trabalhos relacionados à cultura, meio ambiente e a saúde. Na entidade, Cleide comanda o projeto Gincana Ambiental, um trabalho de educação ambiental nas escolas da comunidade e adjacências. O projeto incentiva as crianças a fazerem coletas de lixos dentro da comunidade, onde, posteriormente, estudam o processo de degradação do lixo.

Em 2015, Cleide foi diagnosticada com câncer de mama. Com o apoio dos amigos, familiares e todo o colegiado do CMS-Recife, tem superado as adversidades diárias desde que iniciou o tratamento contra a doença.

Hoje, Rosicleide Barbosa da Silva relembra toda a sua história e se sente realizada por cada caminho trilhado ao longo desses anos.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Inscrições para Observadores será nesta segunda-feira (15)


       Com a 12º Conferência Municipal de Saúde do Recife se aproximando - não se esqueçam: acontece nos dias 16, 17 e 18 deste mês -, as pessoas que quiserem participar do evento devem fazer a sua inscrição como Observador no blog do Conselho. São apenas 80 vagas. Portanto, é fundamental ficar de olho para não perder a chance de participar desse evento que é a instância máxima do Controle Social.
       As inscrições serão abertas às zero horas (0h) da segunda-feira, 15. O link de inscrição será disponibilizado em breve. Aguardem.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Delegados/as esperam pela 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife

Plenária Distrital I

     O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, em parceria com a Secretaria de Saúde do Recife, está em ritmo acelerado para a realização da 12ª Conferência Municipal de Saúde que acontecerá no Centro de Convenções, em Olinda, nos dias 16, 17 e 18 de junho. Com o tema: “Saúde Pública de Qualidade no Recife: Direito de Todos e Todas e Dever do Estado”, a conferência deste ano tem como objetivo avaliar, propor e levar as diretrizes que serão encaminhadas às conferências de saúde, etapas Estadual e Nacional, que acontecerão ao longo de 2015.
Plenária Distrital II
     Os preparativos da 12ª conferência começaram desde março quando as etapas de plenárias microrregionais foram iniciadas. Nessa fase, foram realizadas 19 plenárias, onde mais de 3 mil pessoas, entre usuários e trabalhadores, puderam enriquecer o debate e contribuir para o fortalecimento do Controle Social, além de eleger os pré-delegados/as que participam da etapa Distrital do evento. 
Plenária Distrital III/VII
     Durante o mês de maio foi iniciada a segunda fase desse processo de confecção da conferência. Foram realizadas seis plenárias Distritais, uma por Distrito Sanitário, onde os participantes se reuniram e aprofundaram as discussões dos oito eixos temáticos que norteiam todo o debate da 12ª Conferênciaalém de eleger os delegados/as que participarão dos três dias de conferência no mês de junho. Nessas discussões, os participantes puderam elencar propostas para os níveis municipal, regional (região de saúde), estadual e nacional.
Plenária Distrital IV
    Os eixos discutidos foram: Direito à Saúde, Garantia de Acesso e Atenção de Qualidade; Participação Social; Valorização do Trabalho e da Educação em Saúde; Financiamento do SUS e Relação Público-Privado; Gestão do SUS e Modelos de Atenção à Saúde; Informação, Educação e política de Comunicação do SUS; Ciência, Tecnologia e inovação no SUS; e Reformas Democráticas e Populares do Estado.
Plenária Distrital V
     Visando o fortalecimento do controle social em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), a 12ª conferência vem para reafirmar a saúde pública como uma política de saúde pertencente ao povo, tratando-a com sensibilidade no que diz respeito a melhora do acesso, à humanização e qualificação dos profissionais, além de integrar e incluir todas as populações existentes no Recife garantindo a chegada da saúde às diversas necessidades dessas populações, assegurando sues direitos e qualidade nos serviços ofertados. 
Plenária Distrital VI/VIII
    Quem quiser participar da 12ª Conferência Municipal de Saúde do recife pode fazer sua inscrição, como Observador, num link que será disponibilizado no blog do CMS-Recife a partir da zero hora (0h) da segunda-feira (15). Vagas limitadas.







quinta-feira, 4 de junho de 2015

Conselho marca presença na I Conferência Universitária Livre de Saúde UFPE/UPE

     O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife participou da I Conferência Universitária Livre de Saúde UFPE/UPE organizada pelo coletivo "Conferências de Saúde: Articulação Pernambucana". Realizada no Auditório do Departamento de Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde da UFPE, a conferência teve como objetivo discutir e avaliar as políticas de saúde no âmbito Municipal de acordo com os princípios e as diretrizes do SUS.
     A conselheira e vice-coordenadora da Comissão Organizadora da 12ª Conferência Municipal de Saúde, Keila Tavares, representou o CMS-Recife e teve a missão de explicar aos participantes da plenária como se deu o acesso nas etapas da 12ª Conferência e como o conselho está empenhado na realização de todo o processo.
     Diante do movimento, a Comissão Organizadora reconheceu a plenária como um espaço legítimo de debate em defesa do SUS. "Tomamos ciência do evento e a comissão organizadora viu que poderia convidar esses atores para o debate qualitativo dentro da 12ª conferência", disse Keila. "Então, oferecemos 05 vagas, para cada instituição, na condição de convidados, para os que participaram da I conferência universitária UFPE/UPE possam contribuir nos debates dentro dos três dias da nossa conferência", finalizou.
     A I Conferência Universitária Livre de Saúde UFPE/UPE teve como debatedores os professores Domicío Sá e Paulette Cavalcanti, onde discutiram assuntos como Direito à saúde, Valorização do Trabalho, Financiamento do SUS, entre outros. Agora, haverá um novo encontro no dia 10 no auditório da FENSG - UPE.


*Fotos: cortesia

quarta-feira, 3 de junho de 2015

12ª Conferência: Distrito Sanitário I encerra etapas Distritais

     Durante o último sábado (30), o Distrito Sanitário (DS) I reuniu todos os seus pré-delegados/as, conselheiros/as distritais e de unidade para participar da etapa Distrital da 12ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Realizada na Escola Reitor João Alfredo, na Ilha do Leite, a plenária encerrou a segunda etapa do processo de realização da referida conferência. Entre os objetivos da plenária estavam discutir os eixos temáticos que norteiam todo debate da conferência e eleger os Delegados/as para a etapa Municipal da 12ª Conferência.

     Tendo como abertura um momento de relaxamento proporcionado pelos profissionais da Academia da Cidade, os participantes puderam se exercitar e dançar embalados pelo ritmo tipicamente nordestino, o forró. Após esse contato caloroso, a mesa de abertura foi composta que, entre os convidados, estavam o coordenador do CMS-Recife, Oscar Correia, o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, a secretária Executiva de Coordenação Geral, Joanna Freire, o coordenador do Conselho Distrital de Saúde I, César Augusto, a gerente do DS I, Alessandra Araújo e o gerente Geral de Planejamento e Orçamento, Paulo Roberto.
Oscar Correia dar as boas vindas aos participantes da plenária
     Após as devidas apresentações e as falas dos convidados, Alessandra Araújo começou sua apresentação mostrando o histórico situacional do território, o quadro funcional, a rede de serviços, as obras e requalificações das unidades.

     Logo em seguida, os participantes puderam contribuir na construção do documento base, onde avaliaram, discutiram e propuseram melhorias no referido documento que será debatido nos três dias de Conferência. Ao todo foram oito eixos temáticos, no qual os participantes debateram sobre Direito à Saúde, Garantia de Acesso e Atenção de Qualidade; Participação Social; Valorização do Trabalho e da Educação em Saúde; Financiamento do SUS e Relação Público-Privado; Gestão do SUS e Modelos de Atenção à Saúde; Informação, Educação e Política de Comunicação do SUS; Ciência, Tecnologia e Inovação no SUS; e Reformas Democráticas e Populares do Estado.
     Finalizados os trabalhos em grupo, os participantes se reuniram para a plenária final, onde socializaram os resultados das discussões nos grupos. Ao final, foram eleitos 21 delegados/as o segmento Usuário e 11 delegados/as no segmento Trabalhador.


Trabalho nos Grupos: