sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Saúde da Pessoa com Deficiência é tema de debate no CMS-Recife


Debatendo sobre a Política de Atenção Integral a Saúde da Pessoa com Deficiência (PcD) e Rede de Cuidado, o colegiado do CMS-Recife se reuniu para realização da sua 323ª Reunião Ordinária. Contentando com a presença de convidados, gestores, conselheiros distritais e visitantes, a plenário também compôs alguns Grupos de Trabalho de suma importância para futuras discussões, a exemplo do GT da Lei 17.280/06 e do Regimento Interno que tem como propósito fazer alterações nesses documentos normativos.
Convidando a coordenadora da Política Municipal PcD, Mirtys Araújo, trouxe um apanhado de informações, onde explica que o objetivo da política é “estabelecer diretrizes para promover a Saúde Integral das Pessoas com Deficiência, articular e integrar ações e serviços de Saúde com vistas à ampliação do acesso, qualificação do atendimento e inclusão social visando à melhoria da qualidade de vida desta população”.
     Instituída em Recife em 2016 (Portaria Municipal nº067), a Política envolve todas as áreas de saúde tais como as relacionadas à produção do conhecimento, participação social e atenção  integral  desde atenção básica até alta complexidade. “Nossa linha de cuidado envolve cinco eixos estratégicos que dialogam entre si, fazendo com que a PcD chegue nos diversos espaços da rede”, disse Mirtys. Os cinco eixos são: Atenção Primária (Ações, Promoção e Prevenção); Atenção Especializada (Média e Alta complexidade); Vigilância em Saúde; Educação Continuada e Controle Social e Políticas Setoriais.
         Apresentando um contraponto ao debate, o CMS-Recife recebeu a participação do representante da Comissão de Direito e Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Pernambuco, Dr. Mateus Pereira, que fez uma explanação falando que a inclusão das pessoas com deficiência na sociedade ainda é marginalizada. “A inclusão não é um conceito, é algo normativo e que deve ser cumprido. Precisamos ratificar esses espaços como sendo de direito”, enfatizou.
       Aberto o debate, os(as) conselheiros(as) expuseram seus questionamentos e aproveitaram para fazer ponderações para melhoria da política. O conselheiro Jair questionou alguns dados mostrados na apresentação.  Segundo dados do IBGE 2010, das 432 mil pessoas que têm algum tipo de deficiência no Recife (visual, auditiva, motora e intelectual), somente 11.552 estão cobertos pela Atenção Básica. “Esse é um número muito pequeno para a quantidade de pessoas que necessitam de uma assistência prioritária e direcionada”, avalia o conselheiro. Jair também falou da falta de intersetorialidade com outras políticas da rede. “Não é perceptível que existe uma atuação com todas as coordenações, a exemplo da População Negra, População LGBT. Como vocês trabalham nesse sentido?”, indaga.
        Em resposta, Mirtys, acompanhada da gerente Geral de Atenção Básica, Ana Sofia Costa, respondeu que a política vem realizando ações de integrações não somente entre as outras coordenações, mas também com outras Secretarias, a exemplo da Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Social e da Mulher.
        O conselheiro Isaac Machado enalteceu a importância da rede de cuidado PcD ter sido apresentada no Conselho. “Estou muito satisfeito pelo debate, pois a sociedade, infelizmente, não está muito aberta para esse diálogo sobre a pessoa com deficiência”, disse o conselheiro, que é cadeirante. Isaac também lembrou que algumas unidades não possuem acessibilidade garantida. “No Distrito VIII (Ibura), algumas unidades passaram por uma reforma que nada atende as nossas necessidades e isso precisa ser revisto”, alertou. A acessibilidade foi relatada também para outros equipamentos de saúde como os polos da Academia da Cidade.
       Ainda em reunião, o colegiado compôs os Grupos de Trabalhos (GT) para Lei do Conselho (17.280/06) e Regimento Interno e para a 14ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Também ficou deliberado que o Conselho realizará uma Reunião Extraordinária para debater exclusivamente o item 11 da pauta – Proposta de Diretrizes para a Execução Orçamentária do CMS para 2018 – que, por causa do avançar da hora, não foi iniciada durante a 323ª RO.  A reunião Extra está marcada para o dia 06 de setembro.

terça-feira, 28 de agosto de 2018

CMS realiza I Fórum Aberto de Conselhos de Saúde

       O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, juntamente com o Conselho Distrital de Saúde do Distrito Sanitário II, realizou o I Fórum Aberto de Conselhos de Saúde nas Comunidades do Recife. O evento aconteceu na última sexta-feira, 24, no Largo da Encruzilhada, no bairro de mesmo nome.
      Para quem acompanha as postagens do CMS-Recife através do blog e da fanpage do Conselho, certamente deve lembrar que o Fórum tem como objetivo levar o Controle Social para a rua e mostrar a população que ela também pode, e deve, estar inserida nesses espaços de diálogo e pactuação para melhoria do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital pernambucana.
      Presente na abertura, a vice-coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto, falou da sua felicidade em dar vida a um projeto que vem sendo pensado há alguns anos. “A ansiedade em trazer o conhecimento do que é Controle Social para vocês é muito grande. Dentro dos conselhos a gente faz reivindicações para melhoria da saúde da população e precisamos estar nesses espaços”, ressaltou.
         O Fórum Aberto de Conselhos de Saúde nas Comunidades do Recife é uma forma que o CMS-Recife encontrou de se aproximar dos usuários(as) e criar laços, onde o CMS escutou as demandas existes, tirou dúvidas e mostrou o quão importante é a participação da sociedade nos debates que acontecem nos conselhos, sejam eles, Municipal, Distrital ou de Unidade.
       A conselheira e coordenadora da Comissão de Articulação do CMS-Recife, Lorena Raia, falou da aproximação do cidadão com os Conselhos de Unidade com o intuito de formar novos atores do Controle Social. “Aquele cidadão que usa a unidade de saúde dele, descobriu que a unidade tinha um Conselho, conheceu uma conselheira e estreitou os laços ali mesmo”, relata. “Outro [usuário] descobriu que estava indo em sua unidade de saúde no dia errado, outra [usuária] reclamou da ausência de um ACS em sua rua. E assim, orientados, aqueles cidadãos e cidadãs tem, agora, mais conhecimento e força para nos auxiliar no controle social”, finaliza avaliando que o fórum atendeu as expectativas e se tornou um marco para o Conselho.
      Também participaram do Fórum o coordenador do CMS-Recife, Cristiano Nascimento, e os conselheiros(as) Moises José, Rejane Toledo e Micheline Morais, além de conselheiros(as) distritais, de unidade, representantes da gestão e dos Conselhos Distritais de Saúde IV e V. Na ocasião, o grupo de percussão do Guilherme Abath fez uma apresentação cultural deixando o evento mais animado.

Saúde LGBT é tema de Roda de Diálogo

 
        “Existe uma lacuna muito grande entre a compreensão a vários fatores dessa população [LGBT]. Desde a porta de entrada às Unidades de Saúde da Família até às falhas das redes”. Foi com essa reflexão que a conselheira e coordenadora da Comissão de Educação Permanente do Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, Íris Maria, iniciou a abertura da Roda de Diálogo, realizada na última quinta-feira (23), que teve como pauta, a discursão e identificação de melhorias para a saúde da População LGBT.
     Também presente na Roda de Diálogo, o coordenador do CMS-Recife, Cristiano Nascimento, aproveitou a oportunidade e fez uma reflexão sobre o debate. “Esse é um momento que nos permite entender que essa é a realidade de vários, onde temos que identificar e dar o suporte técnico necessário. É um momento ideal para formação e construção coletiva”, disse.
       Convidada para o debate, a representante da Política Municipal de Saúde a População LGBT do Recife, Tarcilla Sousa, trouxe a necessidade de aprofundar o tema que tem o objetivo de enfrentar as injustiças e as desigualdades na saúde com foco na população LGBT e consolidar o Sistema Único de Saúde (SUS) como igual, universal, integral e equânime para todos.
       Em sua fala, Tarcilla esclareceu dúvidas a respeito das dificuldades de acesso e reconhecimento, a exemplo das pessoas transexuais e travestis, que vivem expostas a riscos, que hora ou outra, levaria a morte. “Travestis morrem desde década de 60, 70. As travestis estão morrendo por uso indevido de silicone há muitos anos. Isso é um problema de saúde pública e precisamos entender e capacitar todos que trabalham direta e indiretamente com essa população”, disse, se referindo à inclusão da diversidade em todos os ambientes.
         A falta de informação é um grande problema enfrentado pela Política e isso foi sentido nas falas dos presentes. “Não existe um material informativo para dizer aos usuários que existe uma política direcionada para uma população específica”, disse Rosangela Berto, secretária-Executiva do Conselho Distrital de Saúde (CDS) II. Para Rosangela, é preciso ter alguma campanha direcionada para dar visibilidade para a Política.
       Outro ponto amplamente discutido foram os desafios enfrentados pelos LGBT no seu dia a dia nas Unidades de Saúde. Desrespeito, falta de humanização por parte dos profissionais, preconceito atrelado à religião, são alguns dos pontos que foram relatados durante a roda de diálogo. A conselheira Leonilde Cunha, também lembrou que os terreiros de matriz africana são negligenciados e que essa questão precisa ser revista. “Precisamos levar esse tipo de conhecimento para os terreiros, onde podemos falar sobre AIDS e sífilis para a comunidade, uma vez que muitos dos que frequentam os terreiros são homossexuais e lésbicas e acho que é necessário ter uma orientação para que entendam o processo de prevenção, diagnóstico e tratamento”, disse.
        Também convidada para o debate, a representante do Coletivo ‘Vamos de Preto!’, Gabriela Conde, desmistificou um pouco a bissexualidade. “Precisamos retirar o estigma que ser bissexual é ser promiscuo. Não é bem assim. Hoje estou num relacionamento com um homem, mas posso, também, me apaixonar por uma mulher e querer viver com ela”, disse. A inclusão e aceitação por parte da sociedade é a grande barreira para o “B” da sigla LGBT. “As perdas não são somente físicas [como uma agressão], mas também são as negligências [descaso na saúde] e aspectos psicossociais”, finaliza Gabriela.
     Embora haja toda uma problematização quanto à saúde da população LGBT, é importante ressaltar que Recife possui um ambulatório LBT e o ambulatório LGBT – Patrícia Gomes que funcionam no Hospital da Mulher e na Policlínica Lessa de Andrade, respectivamente, e esses serviços são de suma importância para manter essa população assistida.
       A Roda de Diálogo contou com a participação de conselheiros(as) do CMS-Recife, representantes dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS), dos Distritos Sanitários, do Coletivo de Lésbicas e Mulheres Bissexuais de Pernambuco (COMLESBI/PE) e da ONG Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero.
     A pauta trouxe para o debate, a real necessidade de entender o novo espaço conquistado pela população LGBT, juntamente com a importância de estar sempre em harmonia com o próximo e de conhecer o movimento como um todo, trabalhando para quebrar os paradigmas e o tabu que a sociedade ainda impõe. Alguns encaminhamentos foram dados e a comissão de Educação Permanente irá fomentar uma campanha para dar maior visibilidade à Política, além de convidar os CDS para uma reunião específica para ampliar o conhecimento sobre a população LGBT.

terça-feira, 21 de agosto de 2018

6º Encontro Nacional de Farmacêuticos no Controle Social da Saúde

Visando debater as saídas para o Brasil, para a defesa do SUS, do trabalho e emprego e da livre organização sindical no país, a Federação Nacional dos Farmacêuticos (FENAFAR) realizou entre os dias 2 e 4 de agosto, em Aracruz/ES o 9º Congresso da Fenafar juntamente com o 6º Encontro Nacional de Farmacêuticos no Controle Social da Saúde.
O Congresso foi iniciado com a reunião da Comissão Organizadora, onde foram explanadas as pautas a serem abordadas entre os três dias de evento e da programação que foi divida entre debates, reuniões e palestras, sob o tema “Farmacêuticos unidos em defesa do trabalho e do Brasil” com a coordenação de Maruza Carlesso, Presidenta do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Espírito Santo e também Conselheira Estadual de Saúde do Estado do Espirito Santo.

Durante o encontro foi possível promover a discussão das políticas públicas de acesso à saúde com qualidade para a manutenção de direitos conquistados e a defesa de um SUS público e de qualidade para todos, reflexões críticas sobre as práticas vigentes e a ampliação do acesso dos usuários ao processo de atenção à saúde por parte dos profissionais atuantes no contexto das ações de vigilância em saúde.
Conselheira pelo Segmento Trabalhador, Marise Marise Matwijszyn com representação do SINFARPE 
Como representante do Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, pelo segmento Trabalhador como representação do Sindicato de Farmacêuticos de Pernambuco (SINFARPE), a conselheira Marise Matwijszyn destacou pontos discutidos para a classe trabalhadora do Controle Social da Saúde.
“Nós farmacêuticos e farmacêuticas devemos enfrentar essa conjuntura, debatendo saídas para o Brasil, para a defesa do SUS e do trabalho e emprego e da livre organização sindical. Essas propostas têm que colocar no alvo principal da nossa luta a retomada da democracia e dos processos democráticas, como a garantia da realização de eleições livres em outubro de 2018” disse Marise, se referindo a atual situação de instabilidade política e governamental do país.
Desde que o Congresso promulgou a Emenda Constitucional 95 (EC 95), ela que limita por 20 anos os gastos públicos, a preocupação de todos que fazem o Sistema Único de Saúde (SUS) são as consequências entre as relações de trabalho, o aumento do desemprego, redução de salários, aumento de jornadas e pioras nas condições de trabalho. “O SUS sofre a maior ameaça da sua história, com redução de investimentos e o avanço de propostas privatizantes” disse Marise.
Encarte informativo com tema da 16ª Conferência Nacional de Saúde
Ainda no Congresso, foram estabelecidas as pautas que compõem as propostas que irão subsidiar as discussões da 16ª Conferência Nacional de Saúde terá como tema central: Democracia e Saúde: saúde como direito e consolidação e financiamento do SUS, será realizada em Junho do ano que vem.


terça-feira, 14 de agosto de 2018

Fiscalização reúne representantes dos CDS

        Na manhã desta terça-feira, 14, a Comissão de Fiscalização do CMS-Recife recebeu os coordenadores das comissões de fiscalização dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) para discutir mecanismos que fortaleçam e integrem o trabalho desenvolvido por essas Comissões. Na ocasião, a conselheira e membro da Comissão, Janaína Brandão, fez uma apresentação, onde mostrou o recorde da Lei do Conselho e do Regimento Interno que trata das atribuições e ações da Fiscalização.
       Ainda na reunião, houve um debate, onde os representantes dos CDS expuseram suas dificuldades e problemas encontrados quando visitam as unidades. Por fim, os presentes receberam um Questionário Orientador, que traz alguns perguntas para melhor entendimento do funcionamento de cada comissão. O referido questionário servirá de base para estabelecer um parâmetro e uniformizar as ações que são desenvolvidas pelas Comissões dos Conselhos de Saúde.
        O próximo encontro ficou marcado para o dia 14 de setembro.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

ConSUS: CDS VI divulga lista de candidatos aptos

        A Comissão Eleitoral que acompanha o Processo de formação dos Conselhos de Unidade do Distrito Sanitário VI para o biênio 2018-2020, divulga a listagem contendo a situação de todos os(as) candidatos(as) que estão inseridos no processo.
      A referida lista foi criada a partir de uma análise de todos os documentos solicitados no Regimento Eleitoral. Ao todo, oito (08) unidades constavam no cronograma de eleição, porém, somente cinco (05) conseguiram preencher os requisitos básicos para seguir com o processo. São elas:

CAPS DAVID CAPISTRANO - BIÊNIO 2018 2020

Data da eleição: 23 de Agosto

SEGMENTO
NOME DO  CANDIDATO
SITUAÇÃO
USUÁRIO
Ana Lúcia da Silva
APTO
USUÁRIO
Helton Alves de Souza Barreto
APTO
USUÁRIO
Leandro dos Santos Menelau
APTO
USUÁRIO
Maria Aparecida Pereira
APTO
USUÁRIO
Michelle Marinho da Silva França
APTO
USUÁRIO
Moisés Ferreira Batista de Melo
APTO
USUÁRIO
Ronaldo Jorge dos Santos
APTO
USUÁRIO
Zenilda Maria damasceno da Silva
APTO
TRABALHADOR
Carla Patrícia Novaes de Lima
APTO
TRABALHADOR
Nilma Maria de Santana
APTO
TRABALHADOR
Renata Maria da Silva Nascimento
APTO
TRABALHADOR
Silvia Lúcia Gomes Cavalcanti
APTO

CAPS AD JOSÉ LUCENA - BIÊNIO 2018 2020

Data da eleição: 30 de Agosto

SEGMENTO
NOME DO  CANDIDATO
SITUAÇÃO
USUÁRIO
Cícero José de Souza
APTO
USUÁRIO
Claudio Rodrigues Costa
APTO
USUÁRIO
Gerailson de Lucena Figueira
APTO
USUÁRIO
Ivanildo Severino da Silva
APTO
USUÁRIO
Jorge Fernando Gomes
APTO
USUÁRIO
Joselito Claudino Bezerra
APTO
USUÁRIO
Manuela Ferreira Santos
APTO
USUÁRIO
Rubens José da Silva
APTO
TRABALHADOR
Adriana do Nascimento Coelho Pereira
APTO
TRABALHADOR
Elizabeth Leão Bening de Souza
APTO
TRABALHADOR
Fernando Antônio de Barros Góes
APTO
TRABALHADOR
Wanessa da Silva Pontes
APTO

US CARNEIRO LEÃO - BIÊNIO 2018 2020

Data da eleição: 21 de Agosto

SEGMENTO
NOME DO  CANDIDATO
SITUAÇÃO
USUÁRIO
Alex José Gomes Cabral
APTO
USUÁRIO
Ana Neri Barbosa
APTO
USUÁRIO
Clécio Belarmino das Montanhas
APTO
USUÁRIO
Maria Simone da Costa
APTO
USUÁRIO
Ronaldo Pereira da Silva
APTO
USUÁRIO
Rosana Oliveira dos Santos
APTO
USUÁRIO
Severino Pereira da Silva Neto
APTO
USUÁRIO
Vera Lúcia da Silva Nascimento
APTO
TRABALHADOR
Ana Paula Macedo de Souza
APTO
TRABALHADOR
Diva Maria de Souza Martins
APTO
TRABALHADOR
Maria Cícera da Silva
APTO
TRABALHADOR
Saulo de Melo Silva dos Santos
APTO

US DJAIR BRINDEIRO - BIÊNIO 2018 2020

Data da eleição: 27 de Agosto

SEGMENTO
NOME DO  CANDIDATO
SITUAÇÃO
USUÁRIO
Edenilson da Silva
APTO
USUÁRIO
Fábio Gonçalves da Silva
APTO
USUÁRIO
José Ricardo Pessoa
APTO
USUÁRIO
Maria Socorro da Silva
APTO
USUÁRIO
Odailton José dos Montes
APTO
USUÁRIO
Rejane Alves da Silva
APTO
USUÁRIO
Sandra Maria da Silva
APTO
USUÁRIO
Vera Lúcia Maria de Santana
APTO
TRABALHADOR
Adriana Gomes da Silva
APTO
TRABALHADOR
Janilda Ferreira Silva
APTO
TRABALHADOR
Jarcilei Maria dos Santos Bezerra
APTO
TRABALHADOR
Maria da Salete de Oliveira
APTO

POLICLÍNICA DO PINA - BIÊNIO 2018 2020

Data da eleição: 24 de Agosto

SEGMENTO
NOME DO  CANDIDATO
SITUAÇÃO
USUÁRIO
Amanda Patrícia de Medeiros
APTO
USUÁRIO
Andreia Pereira da Silva
APTO
USUÁRIO
Andreliny Pereira da Silva
APTO
USUÁRIO
Berivaldo Luiz da Silva
APTO
USUÁRIO
Braz Pereira da Silva Filho
APTO
USUÁRIO
Fillipe Rodrigues Silva Cavalcanti
APTO
USUÁRIO
Jessica Mille Anne Pereira da Silva
APTO
USUÁRIO
João Marcinino Luis Neto
APTO
USUÁRIO
Lucimário Batista da Silva
APTO
USUÁRIO
Marcos Antônio da Silva Lins
APTO
USUÁRIO
Nelson José cordeiro de Lima
APTO
USUÁRIO
Sérgio de Sales Tenório
APTO
TRABALHADOR
Celso Caldeira Santana Filho
APTO
TRABALHADOR
Fabiana Gomes Marinho Valença
APTO
TRABALHADOR
Isaac Medeiros Ferreira de Farias
APTO
TRABALHADOR
Kássia Pollyane Gomes Medeiros
APTO
TRABALHADOR
Keyla Madil Azevedo Loiola
APTO
TRABALHADOR
Romero Jorge da Silva
APTO


         As Unidades de Saúde: Dom Miguel Valverde, US. Vereador Romildo Gomes e o CAPS Livremente terão suas inscrições prorrogadas, por não conseguir o número mínimo de candidatos para viabilizar a continuidade do Processo Eleitoral nesses locais.