sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Comunidade do Coque recebe Fórum Aberto de Conselhos de Saúde

          Aconteceu, na última quarta-feira, 26, em frente à Unidade Coque/Berilo Pernambuco, no Distrito Sanitário I, o II Fórum Aberto de Conselhos de Saúde nas Comunidades do Recife. O evento tem como intuito aproximar os Conselhos de Saúde da população, onde os(as) conselheiros(as) explicam aos usuários(as) a missão dos Conselhos, como se organizam, de que formam atuam, onde encontrá-los, além de falar da importância desses espaços de Controle Social. "Esse é um momento de construção coletiva e um espaço para diálogo entre os segmentos para buscar melhorias para a Política de Saúde", disse o coordenador do Conselho Municipal de Saúde, Cristiano Nascimento.
       Também presente do fórum, a gerente do DS I, Alessandra Araújo, falou da importância desse evento. “Esse espaço é para fomentar a questão do Controle Social e dizer que cada Distrito tem o seu Conselho e que as Unidades também podem ter”, disse. “E é um desejo nosso, que as Unidades tenham esse espaço, pois nos ajudam a consertar os possíveis erros que possam aparecer”, finaliza.
          Para a coordenadora da Comissão de Articulação, Lorena Raia, os Conselhos de Unidade são órgãos que ajudam a minimizar os problemas que aparecem. “Nosso papel é esse: conversar e cobrar melhorias. As demandas atendidas representa uma unidade pacificada e o Conselho da Unidade pode ser o intermediador dessas demandas”, avalia.
            A conselheira e membro da Comissão de Articulação, Leonilde Cunha, fez um apelo aos usuários presentes para participarem mais ativamente dos Conselhos de Saúde. “É difícil, mas temos que está dentro desses espaços discutindo as Políticas de Saúde para fortalecer o Controle Social nas nossas comunidades”, enfatizou.
        Ao longo do fórum, foram entregues materiais informativos sobre os Conselhos, o Controle Social, as Conferências de Saúde, além, é claro, de conter os endereços e telefones de todos os Conselhos Distritais de Saúde.
        O Fórum Aberto de Conselhos de Saúde nas Comunidades do Recife é uma promoção do CMS-Recife em parceria com os Conselhos Distritais de Saúde (CDS).

"Saúde Mental, Drogas e Antiproibicismo" são temas de Formação Permanente no CMS-Recife

Conselheiros (as) reunidos na sede do CMS-Recife
        Falar de drogas é falar sobre tudo de saúde. É ter ciência que as drogas estão ligadas ao Controle Social, incluindo a saúde como ponto principal de destaque. Pensando nisto, membros da Comissão de Educação Permanente do Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, realizaram na tarde da última sexta-feira (21) a Formação Permanente para Conselheiros(as) e representantes dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) com o tema: Saúde Mental, Drogas e Antiproibicismo.
Vice-Coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto.
            A vice-coordenadora do CMS-Recife e também atual coordenadora da Comissão de Educação Permanente, Sônia Pinto, salientou a necessidade de buscar a informação e conhecimento sobre os efeitos e pesquisas relacionadas ao uso das drogas não regulamentadas. "Quando não temos o conhecimento das informações, das pesquisas, a gente fica a mercê da interpretação das pessoas e dos nossos próprios julgamentos sem estudo de nada. Precisamos conhecer e reconhecer a importância da regulamentação, sobretudo da maconha", disse Sônia.
Representante do Coletivo Anti Proibições de PE - Priscila Gadelha
          Para a representante do Coletivo Anti Proibições de Pernambuco, Priscila Gadelha, a oportunidade é única para um debate tão necessário e fundamental para o nosso crescimento social e da nossa futura geração. "Falar de antiproibicionismo é falar de uma política que há muitos e muitos anos foi negligenciada, que foi deixada de lado por ser interesse de poucos", disse Priscila.
      Segundo estudos realizados em fevereiro deste ano, pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, do Ministério da Justiça, cerca de 70% dos presos por tráfico de maconha tinham menos de 100g do entorpecente em mãos, isto é, contradizendo o principal objetivo da Lei Anti Drogas que era de tirar usuários da esfera criminal. Ainda de acordo com o levantamento, 14% deles estavam com quantidades inferiores a 10g e 97% não portavam qualquer tipo de arma, ou seja, eram microtraficantes ou simplesmente usuários.
        Priscila ainda destacou a existência de pesquisas relacionadas à (Dietilamida do Ácido Lisérgico), mais conhecido como LSD, no uso de suas substâncias para o tratamento de transtornos de estresses pós-traumáticos, isto é, pessoas que viveram situações consideradas terríveis, como cenas de guerra ou violência doméstica. “Por que a droga leva à saúde e a morte ao mesmo tempo? Essa é a pergunta que temos que nos fazer quando começamos a falar sobre drogas. Já existem estudos que fortalecem os nossos discursos, como é o caso do ecstasy e do LSD, que já vem sendo estudado para uso em pacientes com casos de falta de controle dos pensamentos negativos sobre os eventos ocorridos, flashbacks, pesadelos e ansiedades extrema”, disse.
      Durante a reunião, Priscila relembrou também do atual modelo de Lei de Drogas instituída no país em 2006, que são questionadas pela ineficácia de sua "guerra às drogas". O tema que vem sendo bastante discutido por questões de segurança pública e saúde teve destaque na fala de Priscila. “A única diferença no modelo é o perfil socioeconômico e a cor (raça). É importante que a gente coloque e entenda definitivamente que essa lei é instintivamente racial, afinal, a quem interessa o modelo atual de guerra contra as drogas?", indagou Priscila.
Pedro Melo - ACOLHER
         Ainda na reunião, o representante da Acolher - Associação Brasileira de Cannabis e Saúde, Pedro Melo, fez uma breve apresentação dos estudos realizados por ele, em parceria com a Acolher, sobre o uso terapêutico da Cannabis Sativa, nome científico da maconha, no tratamento de pacientes com fibromialgia, mal de Parkinson, esclerose múltipla, esquizofrenia, entre outros. "A maconha não é a porta de entrada, maconha é a porta de saída. Não adianta ficar gastando energia sendo contra ou a favor, o processo de regularização já está acontecendo, a discussão agora é o modelo que nós devemos implementar para que seja acessível a todos e não torne uma monopolização", enfatizou Pedro.
         Pedro também pontuou a importância de sabermos diferenciar os estudos sobre os usos terapêuticos, da indução ao uso de entorpecentes indevidamente e principalmente na dose adulterado ao organismo do individuo. “Não estamos romantizando, é necessário sim, debatermos o modelo antigo da Lei de drogas e entender que nós não estamos induzindo ao uso de drogas, mas sim, provando que é funcional. Não sou eu quem está dizendo, são os estudos, as pesquisas”, afirma.
       Ao longo da reunião, representantes dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) dos Distritos Sanitários (DS) I, II, III, IV, VII e VIII estiveram presentes debatendo sobre o tema e interagindo com questionamentos envolvendo a saúde e os interesses da população. A pauta é levada para seus espaços de convivência de maneira assertiva para a disseminação da informação, de forma que possam participar usuários (as), gestores (as), trabalhadores (as), como um ideal para a construção de todos.
     A formação permanente teve cunho informativo e de interesse geral para todos os Conselheiros e Conselheiras que fazem parte da construção direta do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Controle Social, levando conhecimento e informação para todos que eles representam, exemplificando o antiproibicionismo com a sua importância, fazendo contribuir também para a articulação com outros movimentos e demandas da saúde complementar, com o amadurecimento que se insere no contexto da Política sobre drogas.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

GT dá continuidade as discussões da Conferência Municipal de Saúde

        Em sua segunda reunião, o Grupo de Trabalho (GT) que acompanha a elaboração da etapa Municipal da 16a Conferência Nacional de Saúde (CNS) esteve reunido na manhã da última segunda-feira, 24, para dar continuidade as discussões do maior evento voltado ao Controle Social.
          Durante a reunião, o GT fez uma análise dos encaminhamentos da reunião anterior, onde puderam definir o formato da conferência, o quantitativo de participantes e escolha do local para realização da etapa Municipal.
        Nesse sentido, o GT já se programa para iniciar a construção do Regulamento da conferência, além de selecionar possíveis datas para realização do evento, previsto para acontecer no primeiro sempre de 2019.

Comunicação promove momento de formação

         A Comissão de Comunicação do Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, se reuniu, na tarde de ontem, terça-feira, 25, com os(as) coordenadores(as) das Comissões de Comunicação dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) para ajustar alguns pontos acerca do envio de matérias que divulgam as ações realizadas pelos CDS.
      Na ocasião, o assessor de Comunicação e Imprensa do CMS-Recife, Carlos Diego Lins, fez uma pequena formação, onde mostrou o passo a passo da construção de uma matéria. "Nosso intuito é deixar o mais claro possível como as comissões de Comunicação dos Conselhos Distritais devem elaborar suas matérias para poder enviar ao CMS", disse Diego.
         Um novo encontro foi marcado para o dia 16 de outubro.

Coordenação geral se reúne com Secretaria Executiva do CMS

      Com o intuito de se aproximar da Secretaria Executiva do CMS-Recife, a coordenação geral do Conselho se reuniu com parte do grupo administrativo do Conselho para alinhar algumas demandas e conversar com seus membros para entender os trâmites burocráticos das demandas e sugerir possíveis mudanças. "Queríamos fazer essa reunião logo após a nossa posse, mas, devido ao grande número de atividades ao longo desses meses, só agora pudemos realizar esse momento", ressalta o coordenador, Cristiano Nascimento. "Estamos aqui para ajudar no que for preciso", finaliza. 
      Para o assessor de Comunicação e Imprensa do CMS-Recife, Carlos Diego Lins, esse foi um momento de extrema importância para corrigir os erros. "Precisamos estar mais entrosados, não somente na equipe que compõe a secretaria-Executiva do Conselho, mas também com a coordenação geral para que tenhamos um único discurso sem margem para os ruídos que possam vim aparecer", disse Diego. Além disso, a coordenação assumiu o compromisso de realizar reuniões sistemáticas com o grupo funcional do Conselho, onde orientará e apoiará todas as atividades do CMS.
    Pontos como a confecção de atas e os prazos para cumprimentos de demandas específicas, a exemplo do ressarcimento e recarga da bilhetagem eletrônica, foram alguns dos itens tratados durante a reunião.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Ética finaliza Código de Conduta para conselheiros(as)


       Após encontros sistemáticos, a Comissão de Ética do CMS-Recife finalizou, na tarde de ontem, quarta-feira, 19, a elaboração do Código de Ética e de Conduta que estabelece os princípios éticos a serem norteadores da conduta dos(as) conselheiros(as) enquanto estiverem no exercício de suas funções.
      No documento fica exemplificado quais são os deveres e direitos dos conselheiros(as), como também as punições que eles(as) estão sujeitos(as) quando não zelarem pela função de representante do Controle Social.  "A criação deste Código de Ética e de Conduta é uma demanda antiga e vem da necessidade de regulamentar as questões éticas dentro do conselho, uma vez que no nosso Regimento Interno não há muitos itens que tratem dessa temática", disse o coordenador da Comissão, Antônio Gomes. Seu Antônio ainda explica que o Código servirá para todos os Conselhos. "Nosso intuito é fazer um documento, em forma de Resolução, e que valha para o conselho Municipal, os Distritais e os de Unidade", ressalta. 
      Agora, o material deve ser encaminhado à Comissão Executiva e deve passar pela análise do Jurídico para posterior aprovação do colegiado do CMS-Recife.

CMS Repercute: Fiocruz abre 200 vagas em pós-graduação gratuita a distância

A Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por meio da Coordenação de Desenvolvimento Educacional e EAD (CDEAD) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB/MEC), está oferecendo 200 vagas em pós-graduação gratuita a distância. As oportunidades são para o Curso de Especialização Gestão em Saúde, que pode ser feito por pessoas com graduação completa, que possuam habilidade para utilizar computadores, acesso à internet e disponibilidade para estudar por pelo menos 10 horas por semana.
Além disso, o candidato deverá ter condições de se deslocar até o polo nos três encontros presenciais.

Como será a pós-graduação gratuita a distância

O curso será realizado na modalidade a distância, online, com carga horária total de 420 horas, sendo 380 horas realizadas a distância e 40 horas presenciais, com duração máxima de 12 meses. Serão três encontros presenciais.
No primeiro, os alunos receberão instruções sobre a pós-graduação gratuita a distância e aprenderão a usar o sistema online de aprendizado. Já no segundo encontro presencial será o momento de discutir os temas do TCC e de como desenvolver o projeto.
Por fim, no terceiro encontro, os alunos da pós-graduação gratuita a distância irão apresentar o TCC.
Os momentos presenciais deverão ocorrer nos meses de outubro/novembro/2018, abril/2019 e novembro/2019.
O curso é composto por oito Unidades de Aprendizagem (UA):
1) Políticas de Saúde no Brasil e a Dinâmica do SUS
2) Conceitos de Saúde e Doença e Perfis Epidemiológicos no Brasil
3) Planejamento e Organização da Atenção à Saúde
4) Gerência de Operações e Recursos em Saúde
5) Gestão da Qualidade em Saúde
6) Vigilância em Saúde
7) Desafios Contemporâneos em Gestão
8) Metodologia da Pesquisa Aplicada à Gestão em Saúde.


      Quem quiser concorrer a uma das 200 vagas na pós-graduação gratuita a distância poderá se inscrever até as 16 horas do dia 24/09/2018, no endereço eletrônico: http://inscricao.ead.fiocruz.br/533.
        Mais informações podem ser obtidas no edital, disponível em:


PERÍODO DE INSCRIÇÃO: 06 a 24/09/2018
RESULTADO DA SELEÇÃO: a partir do dia 03/10/2018
RECURSOS: 02 (dois) dias úteis após a divulgação do resultado
RESULTADO PÓS RECURSOS (caso haja deferimento): a partir do dia 11/10/2018.


*Fonte: https://www.horabrasil.com.br/94029/fiocruz-abre-200-vagas-em-pos-graduacao-gratuita-a-distancia/

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

GT inicia discussões para realização da 14a Conferência


      Instituído durante a 323a Reunião Ordinária do CMS-Recife, o Grupo de Trabalho (GT) da 14a Conferência Municipal de Saúde do Recife, esteve reunido na manhã desta quarta-feira, 19, para iniciar as discussões acerca da realização da referida Conferência.
     Tendo como base os documentos norteadores da 16a Conferência Nacional de Saúde, da 9a Conferência Estadual de Saúde, e da Resolução n°5035 da CIB, o GT discutiu o formato da Conferência Municipal, onde identificou possíveis estratégias para realização das mobilizações para a 14a Conferência.
      A partir de agora, o GT se reunirá semanalmente para dar continuidade as discussões e acompanhar os desdobramentos dos seus encaminhamentos.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Pela segunda vez, Fiscalização do CMS recebe Conselhos Distritais


      Na manhã da última sexta-feira, 14, a Comissão de Fiscalização do CMS-Recife recebeu, para um segundo encontro, os coordenadores das Comissões de Fiscalização dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) a fim de discutir sobre questões que são inerentes às Comissões, a exemplo da elaboração dos relatórios das visitas às Unidades de Saúde.
       Desse modo, a conselheira e membro da Fiscalização do CMS, Janaína Brandão, fez uma apresentação onde trouxe a análise dos Questionários Orientadores preenchidos pelos CDS na última reunião, realizada em 14/08/18, além de orientar acerca da produção dos relatórios das visitas nas Unidades de Saúde de cada território.
        Ficou acordado que as Comissões de Fiscalização dos CDS irão fazer visitas em algumas Unidades de seus respectivos territórios e trarão suas anotações para construir os seus relatórios junto com a Fiscalização do CMS no dia 19 de outubro. 

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Comissão de Orçamento se reúne com representantes Distritais


     Na tarde da última quarta-feira (12), estiveram reunidos na sede do Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, os membros da Comissão de Orçamento, em conjunto com os representantes dos Conselhos Distritais (CDS) I, II, III, IV, V, VI e VIII, como uma forma de identificar as demandas dos CDS e dos Conselhos de Unidades. “Com essa reunião, conseguimos saber as necessidades e pontuarmos como iremos resolvê-las, os CDS têm necessidades também, essa é uma ótima iniciativa”, afirmou a conselheira e membro da Comissão de Orçamento do CMS, Liana Lisboa, se referindo as solicitações dos Conselhos e suas representatividades.

      Entre os pontos principais da pauta, o CMS deu ciência da contenção de gastos até dezembro deste ano, onde ficou pactuado que boa parte das demandas previstas para esse ano deverá ser remanejadas para 2019 por não ter dotação orçamentária disponível para efetivação das metas da PAS 2018 do Controle Social. Entre as contenções, estão: a confecção de crachás para os novos conselheiros Distritais, a aquisição de coletes para as novas equipes de Comissão de Fiscalização, além da capacitação para os conselheiros(as). Outro tópico de relevância e debate foi a recarga e reembolso da bilhetagem eletrônica para manutenção das atividades corriqueiras dos colegiados dos CDS, onde a Comissão de Orçamento do CMS apresentou um modelo de planilha que deve ser alimentado de forma que evidencie uma estimativa de gastos para o funcionamento das comissões de casa CDS.
    A secretária-Executiva do CDS IV, Fabiana Machado, ressaltou a necessidade de adaptação de cada Conselho Distrital e sua planilha orçamentária, levando em conta que todos os CDS funcionam de uma maneira diferente. “Temos que fazer sempre, ajustes de acordo com a necessidade de cada Conselho e conselheiro, para que possamos identificar onde podemos melhorar e pactuar da melhor maneira com todos”, disse.
      Acompanhando a fala de Fabiana, a Vice-coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto, apontou a importância da atenção à planilha orçamentária de todos os Conselhos, “Quando tratamos de dinheiro público, não podemos tratar de qualquer forma, estamos falando de um orçamento, que precisamos ter o controle de tudo, para que funcione da maneira correta, estamos falando do nosso dinheiro também”, disse Sônia.
     Durante a reunião, foram destacadas as necessidades de aquisição de equipamentos para utilização administrativa de todos os CDS, bem como nos Conselhos de Unidade, e a construção de sedes próprias para todos os CDS. A representante da SESAU, Fátima Silva afirmou que levará todos os tópicos em destaque para conhecimento da gestão, a fim de trazer devolutivas a todas as questões.
      Como encaminhamento, ficou acordado que a Comissão de Orçamento do CMS irá enviar a planilha orçamentária para que todos os CDS possam realizar sua estimativa de gastos para 2019.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Plenário discute Execução Orçamentária do CMS

       O colegiado do CMS-Recife esteve reunido, na última quinta-feira (06), para realizar a sua 211a Reunião Extraordinária. Tendo como principal ponto de pauta a discussão da proposta de Diretrizes para a Execução Orçamentária do CMS para 2018, a reunião ainda trouxe para o debate questões internas, a exemplo da socialização de uma planilha para que as comissões possam fazer um planejamento prévio dos gastos de suas ações para 2019.
     Sendo um assunto extremamente polêmico, a referida proposta foi feita a partir da avaliação da Comissão de Planejamento e Orçamento do CMS que constatou que a execução orçamentária do conselho já ultrapassou o que foi projetado para esse ano. “Tivemos uma discussão ferrenha dentro da comissão, mas precisávamos sair com uma proposta que enxugasse os nossos gastos neste ano para não acontecer a mesma coisa em 2019”, disse a conselheira e membro da Comissão, Liana Lisboa.
      Inicialmente, o Conselho tinha R$ 500 mil para realizar suas atividades para esse ano, porém, devido ao pagamento de despesas oriundas da 13a Conferência Municipal de Saúde realizada em 2017 (algo em torno do R$ 400 mil), o CMS ficou com o orçamento comprometido e terá que fazer a suspensão temporária de algumas atividades contidas na sua PAS 2018.
     “Como é que se paga a CONCAPE [empresa responsável pela organização da 13ª Conferência] quase 95% do valor destinado para este ano. Isso é um absurdo!”, avalia o conselheiro Jair Brandão. “Esse tipo de decisão precisa ser conversada com o coletivo. Por que foi pago esse valor de uma vez?”, pergunta. Para o conselheiro, se já sabia que existia um saldo devedor de 2017, o valor não deveria ter sido retirado do que o CMS tinha disponível para esse ano. “Deveriam ter somado à LOA do Conselho para esse ano e não ter retirado R$ 400 mil do nosso orçamento em 2018. Isso só prejudica as atividades que tínhamos programado para esse ano”, ressaltou explicando que, na verdade, o conselho deveria ter R$900 mil (R$500+R$400) de LOA para 2018.
       Os representantes da gestão ressaltaram que havia o débito da 13a conferência e que deveria ser pago e que, segundo eles, isso não "trará penalidades para o conselho". Porém, essa versão foi contestada pelos conselheiros, onde reforçaram que as atividades do conselho para esse ano não serão mais realizadas porque a execução orçamentária já extrapolou o previsto. 
      A conselheira Priscila Albuquerque defendeu um novo formato para as conferências. “Precisamos rever o formato que realizamos nossa conferência e também como isso deve ser pago. Precisamos saber a média de custo da conferência e que esse valor não seja atrelado ao orçamento anual do conselho para despesas regulares do conselho”, disse, ressaltando que é necessário ter um orçamento específico e separado para realização da Conferência de Saúde no Recife.
A conselheira Kamila Matos apresentou a proposta de
Diretrizes para a Execução Orçamentária do CMS para 2018 
       A proposta traz ajustes e/ou suspensão temporária de alguns pontos que são da rotina do CMS, a exemplo: da limitação na bilhetagem para realização das atividades diárias do CMS e CDS; da participação de conselheiros(as) em eventos que necessitem passagens, diárias e inscrição; da garantia de alguns itens permanentes para o CMS (impressora, HD externo, data-show, kit som), entre outros.
    Após o debate, o colegiado aprovou a proposta de Diretrizes para a Execução Orçamentária do CMS para 2018, mas com algumas adequações na proposta. Agora, as Comissões Permanentes do CMS-Recife deverão fazer seus planejamentos detalhados para ter uma noção do quanto será gasto e fazer o acompanhamento de todas as suas atividades.

Conselhos de Unidade do Distrito Sanitário VI são empossados

        Na última quinta-feira (06), as Unidades de Saúde Carneiro Leão, CAPS José Lucena, CAPS David Capistrano e US Djair Brindeiro, todas do Distrito Sanitário VI, conheceram os seus novos(as) conselheiros(as) que atuarão no Controle Social dentro das unidades durante o biênio 2018-2020.
     A solenidade de posse foi realizada na sede do CMS-Recife e contou com a participação de conselheiros(as) municipais, distritais, gestores e convidados. A vice-coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto, falou desse momento importante. "Fico muito feliz quando o Controle Social está em atividade e quero dizer que só fortalecemos os conselhos se trabalharmos em conjunto. Sabemos que não é fácil, mas é uma tarefa muito prazerosa. Sejam bem vindos", disse.
       Além de Sônia Pinto, também participaram do ato de abertura a conselheira Municipal de Saúde, Vera Lúcia, a coordenadora do CDS VI, Andreza de Lucca, a conselheira Distrital de Saúde VI, Eunice Aquino, a coordenadora da Comissão Eleitoral, Marilde de Jesus Pinheiro Moraes (Aline), e a gerente Interina do DS VI, Nara Regina.
      Nara ressaltou que a participação e atuação dos conselheiros na luta diária pela melhoria da saúde são de extrema importância. “[vocês] Sairão daqui sabendo da responsabilidade e que precisamos dar as mãos para fortalecer o SUS que tem passado por um momento difícil”, disse, firmando o compromisso de trabalhar em conjunto com os Conselhos de Unidade.
       Alguns representantes dos Conselhos de Unidade também foram chamados para fazer uma fala de agradecimento. Entre os representantes estavam: Alex José (US Carneiro Leão), Helton Barreto (CAPS David Capistrano), Márcia Socorro (US Djair Brindeiro) e Joselito Bezerra (CAPS José Lucena).
Representando a US Carneiro Leão: Alex José
Representando do CAPS David Capistrano: Helton Barreto
Representando a US Djair Brindeiro: Márcia Socorro
Representando o CAPS José Lucena: Joselito Bezerra
    Devidamente empossados, os(as) novos(as) conselheiros(as) têm o papel de acompanhar as demandas de suas unidades e tentar solucioná-las sempre em diálogo entre os três segmentos. 
Conselho do CAPS David Capistrano
Conselho do CAPS José Lucena
Conselho da US Carneiro Leão
Conselho da US Djair Brindeiro

CMS marca presença no 9º CITTÃO

       Tendo como objetivo refletir sobre os desafios, impactos e as perspectivas para a atuação do Controle Social no atual quadro do país, especialmente nas qualificações das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (CISTT), o Conselho Nacional de Saúde (CNS) realizou, entre os dias 21 e 23 de agosto, em Brasília/DF, o 9º Encontro Nacional das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora, o CISTTÃO.
O conselheiro Euclides Monteiro (E) entre a delegação de Pernambuco no 9º CISTTÃO
     Como principais pontos de debate, representantes das CISTTs de todo o país, avaliaram, entre outros temas, os impactos da Reforma Trabalhista, que trazem consequências ampliadas a todos (as) que fazem parte do movimento. Como afirma o representante e coordenador da CISTT do CMS-Recife, Euclides Monteiro, destacando sobre o debate em que esteve presente. “Participei do grupo onde debatemos sobre o tema central da 16ª Conferência Nacional de Saúde, onde enfatizamos justamente a democracia e a consolidação dos direitos e financiamento no Sistema Único de Saúde, o SUS”, concluiu.
      Fizeram a composição da mesa de abertura do 9º CISTTÃO, o presidente do CNS, Ronald dos Santos, a secretária-Executiva do CNS, Ana Carolina Dantas, o secretário de Relações de Trabalho da Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil (CTB), Paulo Vinícius, a representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Madalena Margarida, a coordenadora geral do Departamento de Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde, Karla Baeta e o atual coordenador da CISTT Nacional, Geordeci Menezes.
      Caracterizado como um momento para dar voz ao movimento e trabalhar por mudanças, o 9ª CISTTÃO teve como grandes interessados, os estudantes, conselheiros de saúde, coordenadores dos Centros de Referências em Saúde do Trabalhador (CEREST), representantes das centrais sindicais e movimentos sociais, com o intuito de tornar público o debate sobre a saúde e bem estar do trabalhador, enfatizando sempre a precarização nas legislações, como disse o coordenador da CISTT Nacional, em sua fala de abertura. “O adoecimento e os acidentes tendem a serem mais comuns agora, com a precarização ampliada por mudanças na legislação trabalhista, que aumentam a pressão e o assédio sobre os trabalhadores”, afirmou Geordeci.
         Segundo a plataforma desenvolvida e mantida pelo Ministério Público do Trabalho em Cooperação com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho aponta que somente de 2012 a 2017 foram registrados 4.269.648 acidentes de trabalho. Um a cada 48 segundos. O total de mortes neste período foi de 15.874.
        Durante os três dias de evento foram realizadas promoções de Oficinas de Formação em Saúde, debates sobre Nanotecnologia, isso é, tecnologia que trabalha em escala com as dimensões de átomos ou moléculas, a automação no mundo do trabalho, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030, com ênfase na saúde dos trabalhadores.
        No encontro foram definidas as diretrizes que irão nortear as etapas de realização da 16º Conferência Nacional de Saúde, sendo elas: a centralidade do trabalho na discussão da saúde, a Saúde do Trabalhador e Trabalhadora (STT) informal, trabalho reprodutivo das mulheres, assédio moral e sexual, uso indiscriminado de medicamentos, ensino e pesquisa em STT com núcleos de estudo em universidades públicas para definição de pesquisas sobre ambientes e processo de trabalho, entre outros temas de importância para o segmento trabalhador e consequentemente para a população.
     Ainda, foram traçadas e pautadas estratégias, na qual serão alinhadas entre os representantes a fim de aperfeiçoar a participação e mobilização, fazendo assim, com que as ideias ganhem mais adesões e consequentemente, articular em conjunto com os parceiros a possibilidade da discussão do tema em todo país.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Comunicação realiza reunião com os CDS

       Na tarde de ontem, terça-feira, 04, a Comissão de Comunicação do CMS-Recife recebeu representantes de Comunicação dos Conselhos Distritais de Saúde (CDS) para conversar sobre o que vem sendo desenvolvido pelos CDS no que se refere a divulgação de suas atividades. Tenho como proposta fortalecer a interação entre as comissões, a reunião serviu para explicar quais são as atribuições da comissão, além de debater sobre desafios e estratégias para melhor desenvolver as ações de Comunicação nos Conselhos de Saúde.
    O coordenador da Comunicação do CMS, Isaac Machado, falou do encontro. “É primordial para que os Conselhos Distritais organizarem materiais para que possamos colocar em nossos mecanismos de comunicação e com isso sejam divulgadas as ações dos conselhos”, avaliza. “Vamos aprender juntos e mostrar o que vem sendo feito não somente para o CMS, mas para toda a sociedade”, finaliza.
      Na ocasião, já foi retirada uma nova data para estreitar ainda mais os laços entre as comissões dos Conselhos. A reunião será dia 25 de setembro.

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

CDS V empossa novos(as) conselheiros(as)

      Em celebração solene, o Conselho Distrital de Saúde (CDS) do Distrito Sanitário V, empossou, na última sexta-feira, 31/08, o novo colegiado para o biênio 2018-2020. A solenidade foi realizada no auditório da Policlínica Agamenon Magalhães, em Afogados, e contou com a participação de conselheiros(as) Municipais, Distritais, gestores e convidados. O CDS V dá inicio a um novo ciclo que se renova na expectativa de manter o trabalho que já vem sendo realizado pelo CDS nesses últimos anos.
      A então coordenadora do CDS V (2016-2018), Marileide Cavalcanti, se despediu do conselho com o sentimento de dever cumprido. “No tempo em que fiz parte do conselho, lutamos pelo Controle Social no território, sempre dialogando com a gestão para que muitas melhorias acontecessem para os nossos usuários”, disse. “Aos que estão entrando, lembre-se que o Conselho tem um papel importante para a população e que o grupo deve se manter unidos. A luta continua”, finaliza.
        A vice-coordenadora do CMS-Recife, Sônia Pinto, também deixou o seu recado. "Temos, enquanto conselheiros, cumprir com as nossas obrigações, pois o conselho só caminha quando participamos de todas as discussões", disse. "Temos que dar as mãos nesse caminhar e saber que precisamos andar lado a lado com todos os segmentos", finaliza, referindo-se ao diálogo entre os Usuários, Trabalhadores e Gestores.
       Já a gerente do Distrito Sanitário V, Flávia Lira, ressaltou que a gestão estará disponível para o diálogo junto ao CDS. “É um compromisso que assumo enquanto gestão de ouvir os usuários, trabalhar em parceria com o Conselho para melhorar os serviços ofertados nas unidades, sempre observando as particularidades de cada uma”, avalia.
         Na ocasião, os(as) conselheiros(as) que estão deixando o CDS V (colegiado 2016-2018), receberam um certificado de agradecimento pelos serviços prestados no tempo de atuação no Conselho Distrital.


Entrega dos Certificados em reconhecimento aos serviços prestados ao Conselho Distrital.



Assinatura no Livro de Posse - Colegiado CDS V - Biênio 2018-2020