terça-feira, 15 de agosto de 2017

13a Conferência: Distrito Sanitário II elege seus delegados (as)

  
      Usuários, trabalhadores e gestores do Distrito Sanitário II participaram, no último sábado, 12, da segunda plenária Distrital da 13a Conferência Municipal de Saúde do Recife. realizada na Escola de Referência em Ensino Médio Nóbrega, na Encruzilhada, a plenária teve como propósito discutir, elaborar e aprovar as propostas a serem debatidas na próxima etapa da conferência. A plenária teve sua abertura feita pela vice-coordenadora do CMS-Recife, Keila Tavares.
      "Hoje, devemos pensar em propostas que venham para contemplar os anseios da população e que, efetivamente, possam modificar os indicadores de saúde do Recife alocando os recursos com eficiência", ressalta. Na ocasião, Keila fez uma apresentação explicando como foi o processo de organização da 13a conferência.
      O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, também marcou presença na abertura da plenária e ressaltou a importância das conferências. "A gente acredita no processo democrático do SUS e quando realizamos uma conferência de saúde acreditamos que o Plano Municipal de Saúde servirá de norteador para o permanente avanço que a secretaria vem realizando", disse, ao explicar que as discussões da conferência servirá de subsídio para a elaboração do plano para o próximo quadriênio (2018-2021).

        O gerente do Distrito Sanitário II, Romero Nogueira, fez uma apresentação do território, onde, entre muitos pontos, mostrou que o DS II possui 80% de cobertura de Saúde da Família dentro do território.
           Os (as) pré-delegados (as) participaram das discussões nos grupos temáticos. Ao todo são seis grupos que debatem sobre Atenção Básica; Atenção Especializada; Vigilância à Saúde; Gestão do Trabalho e Educação em Saúde; Gestão, Financiamento e Comunicação em Saúde: Controle Social e Participação Popular. 
Grupo 1 - Atenção Básica
Grupo 2 - Atenção Especializada
Grupo 3 - Vigilância à Saúde
Grupo 4 - Gestão do Trabalho e Educação em Saúde
Grupo 5 - Gestão, Financiamento e Comunicação em Saúde
Grupo 6 - Controle Social e Participação Popular
      Finalizados os debates, os participantes se reuniram para a plenária final, onde socializaram os resultados das discussões nos grupos. Ao final, foram eleitos (as), por acamação, 38 Delegados (as) Usuários (as) e 19 Delegados (as) Trabalhadores (as) que participarão da 13ª Conferência Municipal de Saúde.
Delegados (as) eleitos (as) pelo Segmento Usuário (entidades)
Delegados (as) eleitos (as) pelo Segmento Usuário
Delegados (as) eleitos (as) pelo Segmento Trabalhador

Saúde Mental é amplamente discutida em plenário

         Em reunião plenária realizada no final do mês de julho, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife convocou a coordenadora da Política de Saúde Mental do Recife, Cléo Queiroz, para fazer uma apresentação sobre a política e elencar quais os objetivos, avanços e desafios que a Saúde Mental passa na capital pernambucana.
         Com o plenário lotado de usuários, trabalhadores, convidados, familiares, e, claro, do colegiado do CMS-Recife, a reunião serviu como um espaço para discutir e ouvir a população sobre os principais problemas que a política vem passando. Grupos organizados da sociedade civil aproveitaram a oportunidade para externarem seus descontentamentos através de cartazes que traziam pedidos e frases de ordem. ‘Queremos um serviço de qualidade’, ‘CPI na Alimentação’ e ‘Não queremos comunidade terapêutica’, estavam entre os pedidos dos manifestantes.
        A gerente da Política, Cléo Queiroz, foi convidada para mostrar os cuidados prestados pela Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) no Recife. Segundo Cléo, a RAPS prima pelo “Cuidado em liberdade e de forma longitudinal, com emancipação dos sujeitos e inclusão social”. Tendo como princípios norteadores os direitos humanos, responsabilidade sanitária, desinstitucionalização, reabilitação psicossocial e redução de danos, a política tem a finalidade de implementar ações com base no modelo assistencial psicossocial, sempre voltado para a melhoria da qualidade de vida e garantia dos direitos das pessoas com transtorno mental e usuários de álcool, fumos e outras drogas.
      Aberto o debate, a conselheira Micheline Moraes ressaltou que este é um momento histórico para o Conselho. “Levando em consideração os retrocessos que a política vem passando, esse espaço talvez seja o único, hoje em dia, em que podemos falar abertamente das nossas insatisfações”, dispara. Na sua fala, Micheline diz que é preciso ter uma discussão constante sobre a temática. “Precisamos construir uma agenda de discussão continuada e sugiro que seja criada uma comissão temporária para acompanhar os desdobramentos dessa reunião”.
     Para a conselheira Sônia Pinto, os gestores devem se fazer mais presentes nas efetivações das políticas. “Os gestores devem sair de seus gabinetes e ir para a ponta saber o que a população esta passando”, afirma. Já a conselheira Vera Lúcia foca sua intervenção na alimentação que são servidas nos CAPS. “Desde quando fui conselheira em outros colegiados pedi reuniões para discutir sobre a alimentação oferecida nos CAPS. Quero saber o que a empresa oferece aos órgãos, pois, mesmo com tantas reclamações ainda continua sendo a responsável pela disponibilização da alimentação”, indaga.
       Em resposta, a gestão se prontificou em abrir um processo administrativo para verificar essas possíveis irregularidades quanto a oferta da alimentação para os CAPS. Quanto aos demais problemas apresentados (infraestrutura, falta de transporte, recursos humanos, falta de medicamentos, entre outros) a gestão já está criando estratégias imediatas para resolução dos mesmos.
       O visitante Agenor, pai de um usuário do CAPS Boa Vista, agradeceu pela assistência prestada ao seu filho, mas fez um apelo. “Fechou-se os hospitais de assistência ao dente mental e, com isso, nossos pacientes foram para o leito dos nossos lares. Pais e mães sem nenhuma qualificação para cuidar dos nossos filhos. Estamos na situação de despreparo total”, disse, pedido para que a gestão estude uma forma de ajudar as famílias a tratar e conduzir seus filhos.
        O ACS e conselheiro Distrital de Saúde do Distrito Sanitário VII, Fernando Severino, fez um alerta quanto a criação das Comunidades Terapêuticas. “O que está acontecendo é o desmonte da RAPS na cidade e em troca querem que a gente pense que as comunidades terapêuticas são a solução e não é”, afirma. “Querem empurrar de goela abaixo essas comunidades, mas precisamos lutar para que tenhamos liberdade para ir para onde quiser e precisamos dar apoio aos familiares”, finaliza. Para Fernando, o serviço deve ser laico, aberto e público, onde deve ser de qualidade e que garanta os direitos dos usuários (as).

     Como encaminhamentos, o CMS-Recife irá instituir um Grupo de Trabalho para acompanhar as demandas da Política de Saúde Mental. Além disso, o colegiado convidou os gestores para fiscalizar os CAPS, junto com a Comissão de Fiscalização do CMS-Recife, para ver as instalações e provar da comida que é servida nessas unidades. O CMS-Recife também irá pedir o mapeamento dos usuários que são atendidos nos CAPS segmentados por raça/cor, identidade de gênero, pessoa idosa e com deficiência.

CMS-Recife realiza apresentações nas etapas da 13a Conferência

        Pela primeira vez na história das realizações das Conferências de Saúde, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife viu a possibilidade de criar uma apresentação que ressaltasse e enaltecesse a importância deste órgão colegiado tão importante para a efetivação do Controle Social dentro do território do Recife.
         Nesse sentido, a coordenação do CMS-Recife pensou numa forma de está mais perto da população mostrando como funcionam os conselhos de saúde e como a sociedade pode fazer parte deles. “Essa apresentação foi pensada na perspectiva de mostrar que os conselhos de saúde são instituições facilmente acessíveis. Quisemos desmistificar e despertar o interesse da sociedade para participar do Conselho, seja como cidadão ou como conselheiro”, disse a coordenadora do CMS-Recife, Janaína Brandão.
     A referida apresentação foi feita em todas as 23 etapas Microrregionais da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife, realizadas entre os meses de maio e julho. Janaína avalia que a finalidade do Conselho foi atendida. “Tivemos um resultado bastante satisfatório. Tivemos pessoas que nos procuraram para entender melhor sobre o funcionamento e como poderiam ser conselheiros”, relata.
          Com o início das Distritais, o CMS preparou uma nova apresentação para contemplar a Conferência de Saúde. Nesse momento, o foco é mostra a relevância da conferência e ressalta a importância dos debates qualificados dentro dos grupos que discutem os eixos temáticos da 13ª Conferência. “A Conferência de Saúde vem como um espaço mobilizador em defesa da política do SUS. Ela é um instrumento de cidadania, onde a sociedade pode apresentar os seus anseios e desejos na perspectiva de mudança, melhoria e qualidade dos serviços”, ressalta Janaína. “É um momento para focar na luta pela democracia e dizer não aos retrocessos e perdas de direito que a saúde vem sofrendo”, finaliza.
         O CMS-Recife está a pleno vapor na realização da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Além das 23 plenárias Microrregionais já realizadas, o Conselho ainda realizará oito plenárias Distritais, além da etapa Municipal que acontece nos dias 23, 24 e 25 de outubro no Centro de Convenções, Olinda/PE.
A vice-coordenadora Keila Tavares realizando apresentação nas Micros
A conselheira Lucelena Cândido realizando a apresentação do CMS-Recife 

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

CMS inicia etapa Distrital da 13a Conferência

        O Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, em parceria com a Secretaria de Saúde, iniciou as etapas Distritais da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. As Plenárias têm como finalidade aprofundar as discussões iniciadas nas microrregionais, elencar propostas para a etapa Municipal e eleger os (as) delegados (as) que participarão dos três dias de conferência no mês de outubro no Centro de Convenções, em Olinda/PE.
    Nessa etapas, os participantes serão divididos em seis eixos temáticos, onde elevam o nível de discussão e podem contribuir na construção do documento base que será debatido na etapa Municipal. Atenção Básica; Atenção Especializada; Vigilância à Saúde; Gestão do Trabalho e Educação em Saúde; Gestão, Financiamento e Comunicação em Saúde; e Controle Social e Participação Popular são os temas abordados em cada grupo.
          Até o momento, somente o Distrito Sanitário IV realizou a sua etapa Distrital. O CMS-Recife ainda realizará mais sete plenárias.
        As etapas Distritais são voltadas para os (as) pré-delegados (as) que foram eleitos (as) nas Microrregionais, realizadas entre os meses de maio e julho deste ano.
         Acompanhe o cronograma:

Executiva pede esclarecimentos acerca da falta de medicamentos na rede

        Para discutir sobre a falta de medicamentos na rede de Saúde do Recife, a Comissão Executiva convocou representações da Assistência Farmacêutica (AF) da Secretaria de Saúde (Sesau) para prestar esclarecimentos sobre as diversas denúncias que o CMS-Recife vem recebendo. Uma solicitação da Comissão de Fiscalização, a referida reunião teve como princípio ouvir a gestão sobre os problemas quanto a aquisição e dispersão dos medicamentos e insumos que, por vezes, não são encontrados nas farmácias das unidades de Saúde.
       “Nosso propósito, enquanto Comissão de Fiscalização, é vistoriar as unidades de saúde e verificar quais são os problemas que mais atingem os usuários do SUS, e entre eles estão a falta de medicamentos”, disse a coordenadora da referida comissão, Lucelena Cândido. “Por isso que chamamos os responsáveis pelas farmácias para nos esclarecer o que está acontecendo na rede”, finaliza.
         De acordo com relatórios da Fiscalização, mais de 30 medicamentos estão em falta na rede e isso acarreta perdas significativas no tratamento de pacientes hipertensos e diabéticos, por exemplo. Em resposta, a gestão reconhece o problema, mas diz que vem dialogando, sistematicamente, com sua equipe para monitorar e diminuir os impactos que a falta de medicamentos ocasionam na rede. Foi dito também que essa é uma pauta prioritária da gestão e foi ressaltado que muitos dos medicamentos serão ou já estão sendo repostos.
          Outro ponto discutido foi a questão a empresa contratada pela Sesau para distribuir os medicamentos e insumos: a SaúdeLog. Para os conselheiros, a logística adotada não atende as necessidades da rede. “Queremos uma cópia do contrato da SaúdeLog para que esta casa tenha conhecimento do quanto é gasto e quais são as atividades que a empresa realiza”, disse a vice-coordenadora do CMS, Keila Tavares.
          O diretor executivo de Administração e Finanças da Sesau, Felipe Bittencourt, disse que um grande problema era a localização da empresa (localizada em Jaboatão dos Guararapes), mas, este ano, a gestão garantiu um galpão próprio o que, segundo ele, irá melhorar na dispersão dos medicamentos e insumos. “Estamos fazendo a migração dos nossos insumos para a Guabiraba o que agilizará o processo de entrega nas farmácias, pois ficará mais próximo da gente”, conta. Felipe também se prontificou de encaminhar o atual contrato da SaudeLog que, aliás, foi renovado por mais um ano.
        Além do diretor executivo de Administração e Finanças da Sesau, a gerente geral de Alta e Média Complexidade, Mônica Vasconcelos e os representantes da AF, João Maurício e Laura Maria Araújo, participaram da reunião.

Pioneirismo: CMS forma primeiro Conselho de Unidade no polo do PAC

       O CMS-Recife, em parceria com o Conselho Distrital de Saúde II, realizou, no mês de julho, a eleição do Conselho de Unidade do Polo da Academia da Cidade do Hipódromo, no Distrito Sanitário II. Este é o primeiro conselho criado nesse tipo de equipamento de saúde no Brasil.
       A realização da referida eleição só foi concretizada porque o CMS-Recife, atendendo a um pedido dos profissionais da Academia, aprovou uma Resolução que permite a criação de conselhos em equipamentos de saúde tão específicos. “Esse conselho irá poder dialogar sobre o programa e de forma coletiva buscar soluções para os problemas identificados, para a melhoria dos trabalhos desenvolvidos no PAC”, ressalta a vice-coordenadora do CMS-Recife e membro da Comissão Eleitoral, Keila Tavares.
Keila também lembra que a criação do Conselho de Unidade nos PACs é um desejo antigo dos profissionais de Educação Física. "O CMS vem atender uma demanda da conferência de saúde, onde vem fortalecer a instância que é o Controle Social no âmbito do SUS. Afinal, o PAC é um equipamento da rede com ações voltadas para a promoção e prevenção da saúde", finaliza.
        A eleição ocorreu em dois turnos para contemplar os horários intermitentes de funcionamento do polo do PAC.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

13a Conferência: Distrito Sanitário IV realiza sua etapa Distrital

         No último sábado (05), o Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, em parceria com o Conselho Distrital de Saúde IV e a Secretaria de Saúde, realizou a primeira etapa Distrital da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Realizada na Escola Estadual Darcy Ribeiro, no Cordeiro, a Plenária teve como finalidade aprofundar as discussões iniciadas nas microrregionais, elencar propostas que servirão como subsídio para o Plano Municipal de Saúde para os próximos quatro anos (2018-2021) e eleger os (as) delegados (as) que participarão dos três dias de conferência no mês de outubro no Centro de Convenções, em Olinda/PE.
Pré-delegados (as) foram recepcionados pelo Bloco Lírico 'Com você no Coração"
        Contando com a participação da coordenadora do CMS-Recife, Janaína Brandão, ressaltou a importância do Controle Social nesses espaços de discussão. "Estamos reafirmando o SUS como uma política de cidadania voltada para o povo, onde precisamos sentar juntos para pactuar momentos futuros que vão trazer melhorias para a rede", disse Janaína ressaltando a importância desse espaço criado para discutir saúde. “O Conselho agradece a participação de todos, pois, reconhecemos que não está sendo fácil a mobilização, mas acreditamos que podemos fazer um SUS melhor e de qualidade”, finaliza.
     Na ocasião, Janaína também fez uma apresentação explicando, de forma mais detalhada, o funcionamento da 13a Conferência, além de ressaltar da importância das instâncias oficiais do Controle Social.
         Também presente na solenidade de abertura, o secretário de Saúde do Recife, Dr. Jailson Correia, deu as boas vindas aos participantes. "Este é um momento para celebrar a tradição democrática do SUS e da discussão da política de Saúde no Recife. Temos que levantar a bandeira de luta em defesa do SUS e propor grandes melhorias para nossa rede", ressalta. "Sabemos das dificuldades do usuário e a gente, enquanto gestão, reconhecemos os problemas, mas quero dizer que existe um esforço enorme para resolvê-los", finaliza.
        A representante do Conselho Distrital de Saúde (CDS) IV, Joselita Maria, e da gerência do Distrito Sanitário IV, Gabriela Andrade, também participaram da mesa de abertura. Além disso, Gabriela fez uma apresentação territorial do Distrito Sanitário (DS) IV para que todos os (as) pré-delegados (as) conheçam os equipamentos de saúde disponíveis dentro do território.
       Os participantes foram divididos em seis eixos temáticos, onde elevaram o nível de discussão e puderam contribuir na construção do documento base que será debatido na etapa Municipal. Atenção Básica; Atenção Especializada; Vigilância à Saúde; Gestão do Trabalho e Educação em Saúde; Gestão, financiamento e Comunicação em Saúde; e Controle Social e Participação Popular, foram os temas abordados nos grupos.
Grupo 1 - Atenção Básica
Grupo 2 - Atenção Especializada
Grupo 3 - Vigilância à Saúde
Grupo 4 - Gestão do Trabalho e Educação em Saúde
Grupo 5 - Gestão, Financiamento e Comunicação em Saúde
Grupo 6 - Controle Social e Participação Popular
      Finalizados os debates, os participantes se reuniram para a plenária final, onde socializaram os resultados das discussões nos grupos. Ao final, foram eleitos (as), por acamação, 48 Delegados (as) Usuários (as) e 24 Delegados (as) Trabalhadores (as) que participarão da 13ª Conferência Municipal de Saúde.
Delegados (as) pelo Segmento Usuário
Delegados (as) pelo Segmento Trabalhador

Microrregionais

       Durante os meses de maio e julho, o CMS-Recife realizou 23 plenárias microrregionais contemplando todas as microrregiões de todos os Distritos Sanitários. Com a participação expressiva de mais de 2,8 mil pessoas, entre usuários (as) e trabalhadores (as), as plenárias tiveram o caráter avaliativo e propositivo, na qual os participantes puderam enriquecer o debate e contribuir para o fortalecimento do Controle Social na capital pernambucana.
      Com o tema, "Recife por democracia, por direitos adquiridos, pelo SUS para todos: ampliação do acesso com qualidade e eficiência”, a conferência deste ano tem como objetivo avaliar, propor e levar as diretrizes que servirão de base para elaboração do Plano Municipal de Saúde para o quadriênio 2018-2021.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Comissão discute sobre a organização da 13a Conferência

      Instituída durante a 208ª Reunião Extraordinária do CMS-Recife, a Comissão Organizadora da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife vem realizando reuniões para discutir sobre o funcionamento e estruturação desse evento que é considerado a instância máxima do Controle Social.
          Entre os pontos já debatidos pela comissão estão a programação da conferência, os possíveis convidados, o documento base da conferência, o documento orientador para a realização das etapas Distritais e o Regimento Interno da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Aliás, os dois últimos itens já foram apresentados na última reunião plenária do CMS-Recife, onde foram aprovadas pelo colegiado.

        Agora, a comissão deve fazer uma análise da participação nas Microrregionais e acertar os demais pontos que envolvem a realização da referida conferência.

Comissão discute conteúdo da Cartilha de Ética

             A Comissão de Ética do CMS-Recife vem discutindo sobre o conteúdo informativo da Cartilha que trará as orientações para os conselheiros (as) no exercício do Controle Social. Nessa perspectiva, a comissão se reuniu na manhã desta sexta-feira, 4, para definir quais serão os temas e situações que integrarão a cartilha.
           A coordenadora da comissão, Vera Lúcia, que, por motivos pessoais não pode participar da reunião de hoje, conta como será a cartilha. "A ideia é fazer uma cartilha bem dinâmica e com situações do nosso dia a dia para ilustrar aos conselheiros o que pode ou não fazer dentro dos Conselhos de Saúde", dispara.
          Agora, a comissão deve esperar a finalização dos processos administrativos para começar a produção e entrega do referido material.

Após convocação, Comunicação do CMS-Recife se reúne com representantes Distritais

          A Comissão de Comunicação de CMS-Recife convidou representantes dos Conselhos Distritais de Saúde para estreitar os lações entre esses espaços de Controle Social. “A ideia é trazer os conselhos distritais para mais perto da gente e fazer com que eles se integrem e possam divulgar as ações que eles desenvolvem dentro do território”, disse a coordenadora da comissão, Sônia Pinto.

     A proposta é tornar mais efetiva a participação dos CDS dentro dos canais de comunicação do CMS-Recife, a exemplo do Blog e do Jornal do Conselho. Além disso, a comissão também fez orientações sobre pautas e ouvir as dificuldades que os CDS passam.

13a Conferência: Plenária Microrregionais são encerradas

          No final do mês de julho, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife realizou as suas últimas etapas Microrregionais da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Contemplando os Distritos Sanitário I, IV, V, VI e VIII, as plenárias tiveram como maior objetivo fazer uma escuta qualificada dos (as) usuários (as), elaborar propostas e eleger os (as) pré-delegados (as) que participarão da etapa Distrital da conferência.


Microrregional 1.3

          Contanto com uma presença significativa de usuários (as) e trabalhadores (as), o Distrito Sanitário I encerrou a sua participação na primeira etapa da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Realizada na Creche Vovô Arthur, nos Coelhos, a Microrregional 1.3 reuniu cerca de 200 pessoas que participaram da plenária elencando suas angústias, desejos e propostas de melhoria para a rede local de saúde.
       “Estamos aqui para ouvir as demandas de vocês e por isso que este espaço e importante”, ressaltou a conselheira Angélica Araújo na ocasião. “E o Conselho Municipal de Saúde está sempre disponível para receber você”, completa.  Além de Angélica, o conselheiro Rodrigo Barbosa também esteve presente na plenária e apresentou como o Controle Social atua dentro do Recife, através dos Conselhos de Saúde.
         A gerente do Distrito Sanitário I, Alessandra Araújo, fez uma apresentação situacional do território, onde mostrou como a rede de saúde é dividida e como os usuários podem procurar os serviços ofertados pela Secretaria.
         Após esse momento, a plenária foi convidada para debater sobre as dificuldades vividas na comunidade e tiveram a oportunidade de elencar propostas para melhorar os serviços da rede. Ao final, foram eleitos (as) 20 pré-delegados (as) pelo segmento Usuário e 10 pré-delegados (as) pelo segmento Trabalhador que seguirão para a etapa Distrital.
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Usuário
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Trabalhador



Microrregional 4.3

         Usuários (as), trabalhadores (as) e gestores (as) participaram da Plenária Microrregional 4.3 da 13a Conferência Municipal de Saúde do Recife. Contemplando os bairros do Caxangá, Cidade Universitária e Várzea, o objetivo do encontro foi discutir sobre a saúde local.
             A conselheira Rosângela Albuquerque que representou o CMS-Recife na ocasião falou da importância desse momento. "É muito importante a participação de todos vocês porque é assim que se faz o Controle Social. São nesses espaços que as propostas surgem e nos ajudam na construção de uma saúde melhor, com qualidade e eficiência", disse.
         Também marcando presença na plenária, a conselheira Lucelena Cândido, foi convidada para fazer uma apresentação sobre o Controle Social, onde mostrou como os Conselhos de Saúde se organizam e como atuam dentro da capital pernambucana.
         Além disso, a gerente do Distrito Sanitário IV, Juliana Santiago, fez uma apresentação situacional do território, os participantes da plenária participaram do debate fazendo questionamentos sobre os serviços de saúde e cobrando agilidade na resolutividade dos mesmo e realizaram a eleição dos pré-delegados (as) da microrregional, onde 15 usuários (as) e 07 trabalhadores foram eleitos (as)
          A plenária aconteceu na Escola Municipal Divino Espírito Santo, na Várzea.
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Usuário
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Trabalhador



Microrregional 5.2

           Moradores das localidades de Areias, Caçote, Estância e Jiquiá participaram da plenária microrregional da 13ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Uma promoção do Conselho Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Saúde, a plenária teve como objetivo de ouvir a população, elencar propostas para a etapa Distrital da Conferência e conscientizar a população sobre a importância desse espaço criado para debater a saúde local e o controle social.
          Com a presença de 137 participantes, a plenária foi iniciada com a formação da mesa onde, a representante do CMS-Recife, Sônia Pinto, falou que o CMS-Recife estará sempre de prontidão para ajudar as demandas da população. "É importante lembrar que os conselheiros de saúde têm um papel fundamental de acompanhar de perto como é a saúde da população e a qualidade de serviços oferecidos", ressaltou.
          A vice-coordenadora do CMS-Recife, Keila Tavares, apresentou a plenária como os conselhos de saúde foram instituídos e como estão estruturados, além de falar da importância da realização das Conferências de Saúde.
          Ainda houve uma apresentação situacional do território, feita pela representante do Distrito Sanitário V, Rebeca Falcão. Após esse momento, a plenária foi convidada ao debate onde puderam expor suas dúvidas, pedidos e propostas à mesa.  
        Ao final, foram eleitos (as) 16 pré-delegados (as) pelo segmento Usuário e 05 pré-delegados (as) pelo segmento Trabalhador. A plenária aconteceu no Centro Social Urbano de Areias.
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Usuário
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Trabalhador



Microrregional 6.2
           Encerrando as Plenárias Microrregionais da 13a Conferência Municipal de Saúde do Recife, o Distrito Sanitário VI realizou, na Escola Júlio de Oliveira, na Imbiribeira, o ultimo debate dessas etapas que tem por finalidade discutir sobre a saúde local e elencar propostas que seguirão para a etapa Distrital.
        Representando o CMS-Recife, a conselheira Lorena Raia deu as boas vindas a plenária e apresentou como funcionam os Conselhos de Saúde e as Conferências de Saúde. "Esse é um momento para participar, onde podemos reclamar, elogiar e apresentar propostas que melhorem o nosso sistema de saúde", ressalta.
        A gerente do Distrito Sanitário VI, Manoela Gabriel, fez uma apresentação situacional do território e falou da importância deste momento. "Esse é um espaço de participação popular onde vamos ouvir as reivindicações de todos e sempre com o olhar para trazer melhorias para os serviços de saúde", disse.
        Ainda dentro da programação, a comissão eleitoral acompanhou o processo de escolha dos (as) pré-delegados (as) para a próxima etapa da 13a Conferência. Nesse sentido, foram eleitos (as) 11 pré-delegados (as) pelo segmento Usuário e 05 pré-delegados (as) pelo segmento Trabalhador.



Microrregional 8.3
         Cerca de 170 pessoas participaram da plenária microrregional 8.3 da 13a Conferência Municipal de Saúde do Recife. Realizada na Escola Carlúcio Castanha, na UR1, a Plenária teve como objetivo fazer uma escuta aos usuários (as) voltada para a elaboração de propostas que possam melhorar a rede do Recife.
      A conselheira Vera Lúcia, que representou o CMS-Recife na mesa de abertura, ressaltou a importância que o SUS representa para todos e todas. "Precisamos usar esses espaços para somar as melhorias para esse sistema que é tão importante para nós", disse a conselheira. "Espero que todos que estão aqui possam trazer suas insatisfações para que a gente possa trabalhar pensando na melhoria dos serviços que são feitos nas unidades do município", finaliza.
          A conselheira Cláudia Martins, que também esteve presente na plenária, foi convidada para apresentar um pouco sobre os Conselhos de Saúde e como eles se organizam. Na ocasião, Cláudia ressaltou que o CMS-Recife estará sempre de portas abertas para acolher as demandas dos usuários (as) do Recife.
            Além disso, a gerente do Distrito Sanitário (DS) VIII, Mônica Gueiros, apresentou um panorama situacional do território, onde mostra as estratégias de saúde da família que são adotadas na rede de saúde.
            A plenária elegeu 18 pré-delegados (as) pelo segmento Usuário e 09 pré-delegados (as) pelo segmento Trabalhador que passarão para a etapa Distrital do DS VIII da 13a Conferência.
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Usuário
Pré-delegados (as) eleitos (as) pelo segmento Trabalhador